Porque o Confinamento é um Erro

A metodologia proposta pelo Governo para desconfinar o país é errada:

Um estudo publicado agora por uma das melhores universidades do mundo, Stanford, com o contributo do mais importante e reconhecido epidemologista mundial, o Prof. Ioannidis, afirma que ao se comparar países com e sem confinamento não há benefícios do confinamento. A metodologia do Governo português usa uma fórmula insustentável cientificamente. Uma vez que não contabiliza número de internados em UCIs, mas contabiliza um R que tenderá nesta fase, de poucos casos, sempre para próximo de 1 – facto que o prof. Buescu ignorou nas suas declarações públicas onde defendeu esta fórmula. Ora, podemos ter um número muito grande de casos em pessoas jovens e saudáveis e poucos internamentos. E podemos ter um R alto, próximo de 1 e poucos casos – é aliás o que se passa há semanas. A metodologia exige ainda testarem em massa sem distinguir infectados de positivos. Podemos ter uma enorme massa de pessoas positivas sem estarem doentes. E quanto mais testes com baixa prevalência maior o numero de falsos positivos. Isto não é matéria de opinião – são factos, não depende da subjectividade de cada um. Quem diz que o R nesta fase é importante está cientificamente errado.

Um Governo não é um grupo de cientistas, não eleitos – isso seria uma ditadura técnica. Um Governo é um grupo político de pessoas que representam, por eleição, um povo. Ninguém vota em cientistas, isso seria uma destopia tecnocrática. Um Governo tem que tomar medidas que são a melhor opção para 10 milhões de pessoas, e não escudar-se atrás de uma metodologia técnica, reitero, defendida por pessoas não eleitas, para concluir decisões que afectam de forma desastrosa a saúde, o emprego, e o bem estar social. Aliás, é significativo que para tomar estas decisões que condicionam todo o país não haja cientistas das humanidades e da sociedade – estes foram chamados apenas para melhorar a “comunicação” e não para enquadrar critica e socialmente os efeitos do confinamento. Estas escolhas para desconfinar, cientificamente erradas, são da responsabilidade do Governo que escolheu estes cientistas, podia ter escolhido outros, entre os vários, em Portugal e no estrangeiro, que são contra o confinamento. Porque consideram – e isso é um facto , não é matéria de opinião – que o confinamento não impede a pandemia e agrava muitos outros problemas da sociedade, como acesso ao SNS, desemprego, saúde mental, etc.

O Eurofound acabou de tornar público que em toda a Europa que confinou menos de metade esteve de facto confiando – facto que fui alertando desde o início, porque a opção sempre foi por manter o sector de produção de valor aberto. O que se confinou foi o lazer, a cultura, as relações humanas essenciais à vida. Há pouco tempo desconfinava-se com menos de 2000 internamentos, segundo Marcelo. Agora temos menos de 1000 e crianças e adolescentes fora da escola e sem relações sociais densas, com ameaça grave à sua saúde mental; e restaurantes e empresas na falência real uma vez que as ajudas não chegam e quando chegam não são suficientes para colmatar as perdas. São as classes trabalhadores e médias que estão a ser as principais vítimas destas políticas.

O confinamento é uma opção neoliberal, que protege quem tem rendimentos fixos, deixando a maior da população à mercê do desemprego, e por isso, da quebra salarial, e da proletarização, com a falência dos negócios familiares. Trump tinha uma visão do salve-se quem puder, desumana, como tem Bolsonaro. A Suécia social democrata do proteger o mais possível o bem estar social e salvar a democracia liberal. Os governos neoliberais ingleses, francês e alemão – que o Estado português segue – optaram pela opção que não salva pessoas, porque essas só podem ser salvas por políticas focalizadas de saúde reforçada aos mais frágeis com intenso pessoal médico (o caso de Cuba é exemplar, porque uma pandemia depende antes de mais de grande quantidade de pessoal médico), o que implicava nacionalizar na Europa todo o sector privado. O confinamento não salva vidas, pelo contrário, deixa um rasto de destruição social, mas permite, à boleia de uma pandemia, esconder a destruição neoliberal dos serviços de saúde e apostar numa restruturação produtiva para a automação, que gera milhões de desempregados, em pleno Estado de excepção, confiando que isso evitará greves e protestos sociais. É por isso que o estudo de Stanford passa despercebido apesar de ser numa revista de excelência, de uma Universidade de topo mundial e com uma equipa de médicos e epidemologistas que estão entre os melhores do mundo.

Portugal está há 1 ano sem democracia – a democracia não é uma formalidade. É ignóbil que um polícia possa nos perguntar quem vamos visitar no município ao lado ou se estamos a praticar exercício – cruzou-se uma linha vermelha. Nenhum problema se resolve com restrição de direitos em nenhuma sociedade em tempo algum da história. Quanto maiores são os problemas, mais as pessoas devem estar envolvidas democraticamente a resolvê-los. Hoje, não está garantido que a democracia volta a Portugal. Tudo isto começou com confinar 15 dias para achar a curva e estamos há um ano a viver sobre a arbitrariedade do Estado.Deixo o link para o estudo e o currículo do prof. Ioannidis para quem queira consultar.

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/eci.13484

https://profiles.stanford.edu/john-ioannidis

Advertisement

11 thoughts on “Porque o Confinamento é um Erro

  1. Drª Raquel, obrigada! É sempre um gosto e uma descoberta ler e ouvir o que a senhora pensa e sabe sobre as coisas da vida. Sempre tão atenta e informada quanto lucida e objetiva nas suas análises e reflexões sobre os dados e indicadores da realidade.
    Admiro ainda o seu foco nas condições e dinâmicas sociais e do trabalho ao longo dos tempos, realçando sempre a importância do papel desempenhado pelas classes trabalhadoras e produtoras de riqueza, valorizando a democracia como forma de garantir direitos e liberdades dos cidadãos e alertando para os excessos e perigos do neoliberalismo político e económico, derivado do capitalismo laissez-faire (austeridade fiscal, cortes nas despesas governamentais, liberalização económica, desregulamentação, livre comércio, com vista ao aumento e reforço das privatizações na economia), sobretudo depois da década de 1980 e com mais impacto a partir da crise global de 2008. O que se tem verificado é que, ao invés de contribuir para o crescimento económico duradouro, as políticas de cariz neoliberal têm conduzido muitos países ao agravamento das desigualdades económicas e sociais, prejudicando o nível e a sustentabilidade desse mesmo crescimento.
    Efetivamente, assusta-me pensar que nunca estivemos tão confinados a uma bolha suspensa e afastados da democracia como agora e que cada vez menos tenhamos voz na participação nos debates e nas decisões que afetam todos, ou pelo menos a maioria. Mas nada disto acontece por acaso ou apenas decorrente de uma pandemia que até veio dar um empurrão nessa direção. O livre arbítrio, a subjetividade, os poderes de influência, o corporativismo e o partidarismo politico parecem dominar cada vez mais as opções e decisões dos governos. Ora estes foram eleitos pelo povo e para o povo e não para defenderem interesses e privilégios pessoais.

  2. «São as classes trabalhadores e médias que estão a ser as principais vítimas destas políticas.»

    E, acham que somos governados por estúpidos e incompetentes?

    Ou antes, por pessoas que sabem perfeitamente o que estão a fazer – e têm objectivos ocultos por trás de tudo isto?

    Fica aqui a dica…

    Se os recursos naturais do Planeta estão a acabar (h*tps://www.amazon.com/Peak-Everything-Waking-Century-Declines/dp/0865716455) e as elites que temos gostam de os consumir em grandes quantidades, não seria do interesse de tais elites destruir a sociedade que temos – de um modo que, no final, sobrem muitos recursos para tais elites?

    E, não seria também do interesse de tais elites instaurar um Estado Policial, no decorrer deste processo de destruição, para lidar com possíveis revoltas sociais?

    Se houvesse verdadeira consciência política, em número significativo, neste nosso país de atrasados, nada disto seria surpreendente…

    Mas, como não é à verdadeira Europa – culturalmente desenvolvida – que pertencemos, teremos eternamente de ficar a olhar para as denúncias que são feitas lá fora, com anos de antecedência, sobre o que realmente se passa: h*tps://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=10579.0

    • Lamento, mas não é tão simples quanto isso, como afirmava Estulin. Julgo que posteriormente ele mesmo também o enquadrou e completou de outra forma.
      Nada de novo se passa no cenário geopolitico mundial, apenas algumas ferramentas se modernizaram, mas permanecem idênticos os métodos.
      Contextualizando, para além do petróleo como fonte primária de energia, temos hoje o gás e pondo o dedo na ferida, não está verdadeiramente em causa a escassez de recursos, mas o domínio e controle dos seus custos (petróleo+gás), cujas reservas para os próximos 100 anos se encontram em larga maioria nas mãos da Rússia/China, Irão/Qatar e Venezuela. O domínio da energia gera o domínio da economia e o seu controle financeiro…
      Está declarada (à muito) a guerra.
      Como então treinar um exercito (os povos “ocidentais”) para enfrentar tais adversários, se esses recorrem a mão-de-obra barata e obediente (particularizo na China, propositadamente)? E, têm as suas sociedades controladas sob o jugo do autoritarismo, totalitário quando necessário?
      Um psicopata/sociopata afirmaria…
      Transformando a nossa sociedade em algo semelhante à deles, óbvio.
      Mas como se transformam sociedades republicanas, com liberdades e direitos garantidos nas suas constituições, socialmente reivindicativas e índole individual de forte cariz independente?
      Um psicopata/sociopata afirmaria… Mmm, alguma coisa se há-de arranjar.
      Vamos lá espreitar no baú (da história), se o que resultou ainda resultará.
      Tempos novos, soluções velhas mas, modernizadas é claro.

  3. eles recebem em lay off a totalidade do salario e sao descriminados coitados da geraçao lay off eu vejo e os trabalhadores a rirem se dos clientes por fecharem as 13 e as 15 horas cinismo puro e duro ja que agora e tudo green mandem la eles plantarem arvores lisboa acima

  4. Por Dr. Mark Trozzi.

    O meu nome é Mark Raymond Trozzi. Eu sou um médico. Eu formei-me em 1990 pela Universidade de Ontário Ocidental. Pratico medicina de emergência há 25 anos e estou de plantão em várias unidades de emergência desde o início da chamada “pandemia”, incluindo um pronto-socorro especificamente designado para o COVID-19. Sou professor avançado de trauma da vida no Colégio de Cirurgiões da América, e mantenho cargos de professor em Sunnybrook Health Sciences no Departamento avançado de Suporte de Vida, bem como na Queen’s University e na Universidade de Ottawa.

    A seguir, as minhas observações e opiniões. Estou obrigado pelas minhas convicções pessoais e religiosas a falar abertamente e honestamente. Não tenho o poder de dizer “a verdade”, mas compartilharei as minhas experiências honestas, as minhas percepções e os meus resumos de centenas de horas de pesquisa sobre o assunto do Covid-19. No início dessa “pandemia”, fui cauteloso e, portanto, meticuloso com o uso da máscara N95, lavagem das mãos, isolamento social e distanciamento, etc. Estudei a ciência dos coronavírus e estive profundamente envolvido em muitos exercícios de emergência para modificar profundamente a nossa prática para lidar com o “vírus assassino” que nos foi anunciado. No entanto, várias coisas rapidamente me fizeram considerar que fomos enganados e manipulados. Aqui estão algumas delas.

    A primeira vaga

    A “primeira vaga” da “pandemia” foi absolutamente o período mais tranquilo da minha carreira. Trabalhei muito duro e estive muito ocupado nos últimos 25 anos na PS. No entanto, tanto no meu departamento de emergência regular quanto no meu departamento de emergência “designado COVID-19”, quase não havia pacientes e quase nenhum trabalho. Tive vários longos turnos no RS sem um único paciente. Enquanto isso, quando fui ao supermercado local, o público alvo da propaganda, Deus os abençoe, levou-me à frente da linha de distância anti-social, agradecendo por tudo que passei como médico de emergência da linha da frente. Eles acreditavam que os serviços de emergência e hospitais estavam cheios de pacientes a morrer de covid, e que eu tinha que estar exausto e arriscar morrer por causa da exposição. Comecei a contactar médicos e amigos no Canadá e nos Estados Unidos, e encontrei o mesmo padrão: hospitais vazios,

    Investigação antecipada

    No início dos meus estudos, estudei zinco e hidroxicloroquina, que, com base na boa fisiologia, pode realmente ajudar as poucas pessoas com esse vírus da constipação. Fiquei surpreso que este tratamento foi simplesmente descartado e rejeitado pela maioria da comunidade médica (?! …)

    Preocupações iniciais

    Ao pesquisar a Organização Mundial da Saúde, as Nações Unidas, soube que a ditadura chinesa (RPC) tinha apoiado um comunista “Dr.” Tedros, à frente da OMS, e tive conhecimento de como a RPC estava envolvida na libertação do vírus, o encobrimento durante semanas, o desaparecimento e supressão de médicos e cientistas chineses honestos, a disseminação do vírus ao redor do mundo (salvando Pequim onde a elite da RPC vive), e os abusos dramáticos sobre o povo chinês no seu confinamento no momento certo, que foi filmado e transmitido ao mundo para criar o pânico que nos levou a abandonar as nossas economias.

    Raposas ficam com o galinheiro.

    Aprendi como o Diretor de Saúde Pública do Canadá, Dr. Tam,se senta no Comitê de Supervisão da OMS com o Dr. Tedros, o que essencialmente faz dele um agente; e eu ouvia muitas vezes dissertações aos canadianos sobre Covid-19.

    A minha percepção da situação

    Tenho a percepção de que a todos os níveis, a administração hospitalar não teve aparentemente escolha a não ser a de se submeter à interminável imposição pelos governos de novas regras de cima para baixo, protocolos e procedimentos questionáveis. As minhas conversas honestas com os meus colegas sobre a minha pesquisa e observações tornaram-se um problema. Envolvido neste dilema, um administrador sénior que eu muito respeito disse-me que “os meus pensamentos deixam os outros desconfortáveis e dificultam manter todos motivados e em conformidade” com todos os novos protocolos e restrições. Simpatizando com a triste situação, mantive a minha posição clínica prometendo “morder a minha língua de toda a vez que eu pensei que ia falar sobre COVID-19” no hospital. No final, era eticamente impossível para mim, e recentemente retirei-me do pronto-socorro para evitar conflitos.

    Já vi um paciente covid-19?

    Nunca vi um paciente com COVID-19. Vi testes positivos de PCR em pessoas assintomáticas, e vi pessoas presas nas suas casas e isoladas da família e amigos. A minha pesquisa sobre o teste pcr convenceu-me pessoalmente que é enganoso, manipulador e usado para drenar o dinheiro e a dívida futura de contribuintes intermináveis, a fim de enriquecer muito os próprios criminosos que estão a executar este escândalo. Só a minha província realizou cerca de 50.000 testes de PCR por dia. Enquanto isso, o nosso governo federal está a fornecer centenas de milhares de doses de injeções experimentais potencialmente perigosas de material genético viral modificado, classificando-as como “vacinas” e tendo-as geridas pelos militares. Isso é razoável para uma doença viral principalmente benigna e não fatal?

    Excluindo informações?

    Observei a supressão de médicos e cientistas que fizeram estudos sobre anticorpos séricos, cujos resultados mostraram que o vírus é muito mais prevalente, mas geralmente não fatal, e assintomático ou muito leve na maioria dos casos, e que em muitas áreas provavelmente já tínhamos alcançado a imunidade natural de grupo até ao Verão de 2020.

    Veja este estudo realizado em Wuhan, que mostra que o vírus foi feito lá antes do 1º de Junho de 2020, apenas dois meses após o término do seu breve confinamento, e que ninguém o propagava, nem mesmo as poucas pessoas com um teste PCR “positivo” (E eles não estavam doentes).

    China

    Notei que após o confinamento teatral da China, eles rapidamente voltaram aos negócios como de costume, enquanto todas as nossas economias estavam congeladas, eles ganharam enorme controle sobre o mercado mundial. Isso parece uma estratégia formidável mas diabólica!

    Manipulação política dos trabalhadores da saúde

    Parece-me que muitas das coisas que aprendemos na Faculdade de Medicina sobre doenças infecciosas foram descartadas e substituídas por listas em constante expansão de mandatos, muitas vezes por funcionários da saúde pública. Médicos, enfermeiros e professores são particularmente importantes para o sucesso desta decepção COVID-19 porque somos líderes na sociedade e as pessoas confiam nos nossos conselhos. Não é, portanto, surpreendente que eu ache que a liberdade de expressão e pensamento foi muito suprimida nas nossas fileiras. Em vez de suportar as punições da dissidência, podemos optar por experimentar benefícios míopes, como dias extremamente tranquilos no PS, substituindo o nosso trabalho prático tradicional por sessões de Home Zoom e aceder a uma variedade de novos códigos COVID-19. A um dado momento, havia uma opção de ganhar mais dinheiro do que eu normalmente ganharia trabalhando num pronto-socorro ocupado,

    muitos motivações positivas e negativas são usadas para manipular médicos, enfermeiros e professores canadenses para participar inadvertidamente desta grande decepção, mas isso destrói a nossa sociedade. Para usar uma metáfora titânica: “Até as suítes de luxo do Titanic acabam no fundo do oceano quando ele afundou.” Além disso, muito do que está a ser feito, incluindo injecções genéticas virais experimentais, parece violar o código de Nuremberg em relação à experimentação médica com o consentimento total informado dos participantes. Médicos e enfermeiros têm que tomar decisões difíceis. A minha carreira como médico de emergência sempre me deu a oportunidade de praticar as minhas convicções religiosas e éticas de honestidade e bondade, enquanto ganho uma boa vida. Agora, manter a carreira que eu amo exigiria participar do engano. Simpatizo com todos os meus colegas médicos e enfermeiras. Somos todos vítimas de abuso de covid.

    Investigação mais aprofundada

    Pesquisei e percebi como oligarcas corruptos parecem ter planeado este crime contra a humanidade. Isso incluiu o Evento 201, que foi uma simulação de uma pandemia corona conduzida pela Fundação Bill e Melinda Gates, o Fórum Económico Mundial e a Universidade Johns Hopkins em Outubro de 2019, e o planeamento de simulação de epidemia viral da Fundação Rockefeller em 2010 chamado “Operação Lockstep”. Ambos os projectos descreveram como uma epidemia viral seria usada para estabelecer um sistema autoritário com a perda dos nossos direitos humanos e liberdades. Também observei como os seus contingentes em grandes tecnologias como Google, Facebook, Twitter e YouTube têm trabalhado para censurar e enganar-nos a todos; É propaganda de verdade. (Les7duquebec.net não se responsabiliza pelas palavras do autor. NDLR).

    Quanto ao uso de máscaras faciais:

    O uso forçado de máscaras pela maioria da população mundial não é apoiado por unanimidade pela verdadeira ciência. Essas máscaras afectam muito a nossa saúde psicológica, social, dermatológica, odontológica e otorinolaringologista. Embora eu seja geralmente saudável, as máscaras provocaram-me erupções cutâneas e sintomas nasais sempre que eu tinha que usá-las por períodos prolongados, que desaparecem sempre que eu não as use durante alguns dias. O que eu acho mais perturbador é a eliminação de expressões faciais, e, portanto, uma interacção social visual normal.

    Em relação às vacinas Covid-19:

    A história de tentativas passadas de vacinas contra coronavírus revelou efeitos colaterais muito perigosos em modelos animais, e os esforços foram abandonados. Por que tomaríamos uma vacina perigosa para uma doença geralmente benigna, contra a qual desenvolvemos imunidade colectiva? A actual implantação de “vacinas” experimentais caras e aceleradas está a enterrar os contribuintes numa dívida infinita para com os vilões ricos e poderosos desta história. No entanto, nós, as pessoas que foram aprisionadas e maltratadas neste escândalo, estamos a ser manipulados para tomar novas injecções estranhas, na esperança de recuperar um pouco da nossa liberdade. Além disso, as chamadas “vacinas” não são vacinas (a menos que mudemos a definição de vacinas). Em vez disso, são injeções de genes do vírus Corona. Veja “Não é uma vacina”.

    Decisões difíceis

    Recentemente, tomei decisões pessoais difíceis: abandonar um rendimento e a segurança pessoal, escolher um caminho ético e honesto que possa contribuir para um resultado verdadeiro e justo, e para o retorno da nossa sociedade livre e liberdades civis. Acredito que quase todos nós somos vítimas, não importa onde estejamos no caminho para recuperar a verdade.

    Terapia genética experimental de Covid-19 mRN

    Aqui está a definição de “vacina”.

    “A preparação de um patógeno enfraquecido ou morto, como uma bactéria ou vírus, ou parte da estrutura do patógeno que, quando administrado a um indivíduo, estimula a produção de anticorpos ou imunidade celular contra o patógeno, mas é incapaz de causar infecção grave.” — O Diccionário do Património Americano® da Língua Inglesa, 5ª Edição

    Para mais definições de “vacina”, visite: medical-dictionary.thefreedictionary.com/vaccine.

    Por exemplo, uma vacina significa uma injeção ou dose engolida de uma bactéria enfraquecida, morta ou fragmentada, vírus ou outro organismo infeccioso contra o qual você está a tentar imunizar. Embora a injecção esteja morta ou fraca demais para causar doenças graves, ela tem algumas das marcas superficiais do parasita, também conhecidas como “antígenos”, para o sistema imunológico. Isso permite que o seu organismo prepare anticorpos e defesas celulares contra o parasita para que, se o encontrar no futuro, o seu sistema imunológico o possa matar rapidamente sem que você fique doente. É uma grande ciência de 150 anos atribuída ao seu fundador Louis Pasteur.

    Agora: consulte a página 11 em qualquer um dos briefings de covid “vacina” dos Emirados Árabes Unidos (Moderna; Pfizer) para encontrar na secção 4.1 Composição da vacina: “A vacina contém um RNA mensageiro nucleosídeo modificado (modRNA) codificando glicoproteína avançada viral (S) para SARS-CoV-2.” ou “A vacina contém um ácido ribonucleico mensageiro sintético (mRN) codificando glicoproteína avançada estabilizada pré-fusão (S) do vírus SARS-CoV-2.”

    Portanto, essas novas injecções são material genético covid-19. Elas são uma parte modificada do código genético do vírus covid-19, anunciadas como servindo para entrar nas suas células, interagir e usar os seus ribossomos que normalmente produzem apenas as partes complexas ou “proteínas” da sua própria célula com base no seu código genético e RNA mensageiro. Naturalmente, dentro das suas células, os seus RNAs mensageiros trazem os seus muitos desenhos de proteínas naturais desde a sua cópia de papel em seu DNA até os ribossomos das suas células fora do núcleo. Portanto, o seu RNA mensageiro normalmente carrega elementos do seu código genético do seu DNA que está nos núcleos das suas células, para os seus ribossomos, que lêem os códigos e produzemas suas máquinas celulares chamadas “proteínas”.

    No entanto, quando ribossomos são empenhados pela injecção de RNA mensageiro viral, as suas células começam a produzir parte do vírus: a “glicoproteína sarS-CoV-2 avançada”. Então é aí que ela começa a ter uma relação com vacinas, mas é muito diferente. Aqui, as suas próprias células contêm genes virais, que os direccionam a gastar nutrientes e energia para produzir e bombear cópias de alguns dos vírus covid-19 na sua circulação. Aqui, o ponto de venda optimista aqui é que você acaba com partes do vírus covid-19 a flutuar no seu corpo para, esperançosamente, estimular uma resposta imune saudável.

    Por outro lado, essa injeção de genes virais altamente experimentais traz riscos desconhecidos e preocupações sérias, incluindo as explicadas aqui pelo professor Dolores Cahill.

    Azedareste Vu aqui: Escala de Jacó: Dr. Mark Trozzi, médico de emergência de Ontário: “Estamos sendo manipulados!” (echelledejacob.blogspot.com)

    Retirado do blogue; https://queonossosilencionaomateinocentes.blogspot.com/2021/03/dr-mark-trozzi-medico-de-urgencia-de.html

    • Algo no acima descrito, deixa à capacidade de dedução, algo deveras preocupante. A não cura (mRNA), disfarçada de cura, tornar-se-à na própria…
      Tornar-se-à ou já será? Israel talvez possa responder a esta pergunta.
      Brevemente, outros também.

      • Fonte: Dr Mark Trozzi, urgentiste en Ontario: «Nous sommes manipulés!»… par une médecine stipendiée – les 7 du quebec

  5. Pingback: Pandemia | O confinamento é um erro

  6. Saberá, com toda a certeza, que existem outros tantos estudos a dizer exatamente o contrário deste que apresenta; outros haverá que dizem mais ou menos o contrário; outros haverá que dizem mais ou menos o mesmo…
    Parece-me um exercício de inutilidade este que se faz à volta deste assunto.

  7. Meu Deus! Isso é mesmo verdade?! Não é “teoria da conspiração”? Não é material de ficção para um filme? Já não sabemos em que acreditar, embora saibamos que tudo é possível, pois a História da Humanidade já nos mostrou tantos exemplos de desumanidade perante a ganância de riqueza e poder.
    Sou naturalmente muito curiosa e gosto de pesquisar e descobrir sobre coisas que ainda não domino bem e outras que simplesmente desconheço. Costumo ter mente aberta e questiono quase tudo o que parece óbvio ou evidente para muitos. Leio muito e gosto de ouvir o que outras pessoas pensam e têm a dizer… Por que é que com tantos meios de informação e comunicação ao dispor da Humanidade, com tantas ligações em rede e tanta atividade virtual e viral na Internet, com tantas pessoas com autoridade na matéria, como o Sr. Dr. Mark Trozzi, estas descobertas não se espalharam e não tiveram peso e influência igualmente poderosa e viral como tantos outros problemas que levaram as pessoas a unirem-se e a protestarem mundialmente?
    Gostaria muito que todo o mundo soubesse disto para que fosse possível informar e alertar as pessoas de que há/parece haver outra explicação para a origem dos factos relacionados com o COVID-19. Talvez alguma mudança pudesse ocorrer e ainda fossemos a tempo de salvar tanta gente e a devolver a outros tantos os direitos que perderam. A ser verdade, gostaria que pelo menos fosse possível desmascarar esse plano diabólico para o enriquecimento e empoderamento de oligarcas á custa da doença, do sofrimento e da morte de seres humanos. Será que a Humanidade como a conhecemos poderá estar em risco e a tornar-se tão inimaginavelmente perversa? Será que o humanismo acabou entre as pessoas que deveriam governar, liderar e cuidar dos povos? Será que em vez disso estão a brincar com as suas vidas e os seus sentimentos, destruindo-os, tornando-os impotentes e resignados a um fatal destino e reduzindo-os a meros escravos? A ideia terrível e assustadora de que estamos perante uma manhosa, pérfida e ignóbil ameaça global mascarada de pandemia por culpa de um terrível vírus, que foi criado propositadamente para parecer o verdadeiro culpado deste desgraçado destino, parece inacreditável!
    Acredito que o Homem carrega em si tanto o poder para o Mal como o poder para o Bem, mas se os homens e mulheres escolherem o poder errado, tudo o que de bom e positivo foi construído e conquistado ao longo da existência humana terá sido em vão e tudo se tornará num buraco vazio e escuro. Dos seres mais inteligentes e capazes de mudar o seu destino á face da terra, passaremos a ser apenas as criaturas mais estúpidas e insignificantes que podemos imaginar. Finalmente, os macacos terão a oportunidade de provar que evoluíram mais do que o Homem e que têm direito ao seu tempo e lugar na Terra.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s