A falsa equivalência entre Fascismo e Comunismo

Tirando o estalinismo e o nazismo só o Parlamento europeu achou por bem legislar num Parlamento uma tese sobre a história. Esta “verdade de Estado” foi aprovada 80 anos depois da II Guerra provocada pelo nazismo, que matou 80 milhões de pessoas. Diz o Parlamento na sua declaração que nazismo e comunismo são a mesma coisa.
A absurda ideia de que o comunismo e o nazismo são dois lados da mesma moeda equivale cientificamente a dizer que as pragas agrícolas têm origem nas bruxas; ou que a terra é plana. Nem a mais conservadora academia do mundo tem a coragem de o afirmar nos termos em que o fez o Parlamento Europeu. Neste comentário explico porquê, em matéria que – saliento – não é de opinião, é de facto.
Comunismo e nazismo, como aliás regimes democráticos liberais, cometeram as maiores barbaridades, mas igualá-los é matéria de delírio. Não gosto de contar mortos, mas se pensarmos os do estalinismo e regimes afins, do fascismo, e dos regimes social democratas nas colónias, ou o do neoliberalismo, teremos um concurso renhido. Há muitos candidatos ao pódio.
Aqui fica o vídeo, espero que, mesmo curto, seja pedagógico.

0- A esquerda nunca vai ganhar espaço de não fizer uma condenação radical do Estalinismo. Que não fez, na minha opinião.
1 – O Comunismo é pré-marxista. É a ideia de que o homem seria mais livre se todos tivessem acesso à propriedade, e não, como hoje, a maioria não possuir nada.
2 – Ninguém matou tantos bolcheviques como Estaline. Foi a partir de 1928 que a revolução russa degenerou numa ditadura. Até aí foi o lugar no mundo onde houve mais liberdade para os trabalhadores. Mesmo devastado por uma guerra civil nunca o seu espectro de possibilidades se ampliou tanto. Junto a eles deu-se a maior explosão no campo das artes e da ciência de que há memória na história do século XX.
3 – Foi a Alemanha que invadiu a URSS, não foi a URSS que invadiu a Alemanha.
4 – Equivaler nazismo e comunismo é ainda uma relativização do nazismo. Houve gulags, mas nada se compara ao que foi Auchwitz. É um perigo, nos tempos que correm, relativizar o nazismo.

Porque podemos e devemos debater sem tabus a degeneração do Estado Estalinista. E quando a mim esse debate é essencial para outro, o de discutir hoje as formas de democracia socialista que desejamos (e porque falharam, e como podem não falhar). Agora o nazismo é uma ideologia de morte e ditadura desde o início. Não degenerou – a sua essência é a guerra, o ódio, a segregação, a morte em larga escala. A ideologia neoliberal, que colapsou em 2008 quando os Bancos foram salvos não pela livre concorrência mas pelos dinheiros dos trabalhadores públicos, insiste nesta tese absurda de que além do neoliberalismo só há populismo, populismo que seria de esquerda e de direita.
Este extremo-centro neoliberal não é só um apelo à resignação ideológica, ele veícula assim hipóteses sobre o passado que não existem a não ser na cabeça das bruxas e dos crentes. Este irracionalismo neoliberal, que vira às costas à ciência, conseguiu passar de uma tese do “totalitarismo” de Arendt, tese que não subscrevo na íntegra no campo da história mas que é discutível – à farsa patética de igualar o nazismo, o Estado mais tétrico que a humanidade conheceu, à resistência ao nazismo – simplesmente a coisa mais bela e grandiosa de que há memória na nossa humanidade.

2 thoughts on “A falsa equivalência entre Fascismo e Comunismo

  1. A União Europeia é, admitidamente, uma criação do Grande Capital internacional (h*tps://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/1356047/Euro-federalists-financed-by-US-spy-chiefs.html). Grande Capital esse, que é sabido controlar a esmagadora maioria das classes políticas dos vários países com assento no Parlamento Europeu (h*tps://fotos.web.sapo.io/i/o41140ea4/17596647_i1zW0.jpeg).

    E, a este Grande Capital, não só não interessa que se promova o Comunismo e o Socialismo, como interessa também imenso demonizar estas ideologias, em particular – por razões que serão óbvias.

    Logo, se «podemos e devemos debater sem tabus a degeneração do Estado Estalinista», é preciso, primeiro que tudo, questionar-nos sobre o quanto do que nos diz o Ocidente capitalista sobre o que foi a União Soviética é, de facto, verdade… Pois, concordemos ou não com o Estalinismo, em particular (eu não sou estalinista) é por aí que tem de começar sempre qualquer debate. Visto que, eu tenho lido repetidamente, nos últimos anos, da parte de alguém que também repetidamente tem provado a sua credibilidade (e é até membro dos actuais serviços secretos russos) coisas como:

    1) “Hola a todos los detractores de Stalin. Por favor, quiero q alguien me explica CÓMO llevaron 100 millones d prisioneros a los GULAG. Epicentro d GULAG, MAGADAN cerca de Kamchatka. CÓMO llevaron 100M alli??? Una pista: aun no habian construido linea d metro Moscu-Magadan” (h*tps://twitter.com/EstulinDaniel/status/1042979440765034498)

    2) “Some idiot yesterday, who used account of Solzhenitsyn tried to convince all that Stalin was a murderer. This doc. shows max.# fpeople” h*tps://pbs.twimg.com/media/C8lMw6uWAAEiMYE?format=jpg&name=4096×4096 (h*tps://twitter.com/EstulinDaniel/status/849294419035648000)

    3) “BTW, Solzhenitsyn was a despicable liar. He made up most of the things he wrote on the GULAG.” (h*tps://twitter.com/EstulinDaniel/status/848944250465202176)

    E, sobre os adversários de Estaline que foram mortos, já sabia eu por outras fontes, que são historiadores ocidentais e capitalistas (um dos quais é até recomendado por um ex-Conselheiro de Segurança Nacional estadunidense: h*tps://en.wikipedia.org/wiki/Antony_C._Sutton) que o Trotsky e seus seguidores eram, de facto, agentes do Ocidente:

    1) h*tp://www.reformation.org/wall-st-bolshevik-rev.html

    2) h*tp://www.wildboar.net/multilingual/easterneuropean/russian/literature/articles/whofinanced/whofinancedleninandtrotsky.html

  2. A minha posição sobre Estaline foi um grande revolucionário,,.
    União Soviética deve a Estaline as maiores das sua conquistas mas Estaline errou quando disse que se estava a construir o Socialismo num só país.
    Estaline errou quando fez do partido da classe operária um partido completamente fora da noção leninista de aliança de classe para estabelecer a ditadura do proletariado.Isso são erros. Há erros teóricos de Estaline.
    Portanto, acho que não se deve ter em relação a Estaline uma posição pequeno-burguesa, oportunista, que é a de que ele se trata de um ditador como Hitler.
    Não é nada disso. Pelo contrario, foi ele que mandou abaixo o Hitler, o que não é a mesma coisa!
    Agora , os erros teóricos que se comentem, sejam cometidos pela ditadura do proletariado ou pela ditadura da burguesia, são sempre erros teóricos!
    A burguesia também cometeu erros teóricos.
    Vamos á Revolução Francesa que é a revolução suprema da burguesia e toda a gente sabe que se cometeram erros teóricos e práticos notáveis.
    Por exemplo , a esquerda da revolução burguesa é exatamente a dois indevidos que mandaram os outros para a guilhotina , e que acabaram guilhotinados também. Essa era a esquerda da revolução burguesa; não era a direita , não era o centro , era a esquerda da revolução burguesa: São, Danton ,Robespierre, Marat …
    Por fim:
    Quando se condena Robespierre, Danton, Marat condenam-se pelos erros que eles cometeram e não pelos indivíduos que mandaram para a guilhotina .A mesma coisa se deve fazer em relação a Estaline.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s