Sobre mim/About

(in English below)

Raquel Varela é historiadora, investigadora e professora universitária. starting grant da Fundação para a Ciência e Tecnologia / Universidade Nova de Lisboa / IHC, fellow scholar do International Institute for Social History (Amsterdão) e membro credenciado do Programa de Doutoramento / Mestrado em História da Universidade Federal Fluminense (Rio). Foi professora visitante internacional (2015-2019) no Programa de Pós-Graduação de História da UFF, Rio de Janeiro, Brasil, onde foi responsável por unidades curriculares em História Global do Trabalho. É professora no ISEC na área de História das Relações Laborais. É coordenadora do Projeto Internacional de História Global do Trabalho In The Same Boat? Shipbuilding Industry – a Global Labour History, a partir do ISSH Amsterdão/Países Baixos. Autora e coordenadora de 32 livros sobre história do trabalho, do Estado Social, de Portugal, da Europa, do movimento operário e história global. Vários dos livros estão traduzidos em alemão, francês e inglês. Publicou como autora 71 artigos em revistas com arbitragem científica, na área da história, sociologia, educação, economia, serviço social e ciência política indexados no ISI Thompson, CAPES Qualis A, Scopus, entre outros. Autora de 74 capítulos publicados em livros em Portugal, EUA, Reino Unido, França, Brasil, Espanha, Hungria, Grécia e França. Fez 158 palestras por convite realizadas em mais de 50 instituições nacionais e estrangeiras. Coordena 17 projetos nacionais e internacionais financiados. Orienta 12 pós-doutoramentos, doutoramentos, mestrados e bolsas sandwich. É membro do editorial board da revista académica indexada Workers of the World (IASSC) e deputy editor da revista académica indexada Critique. Journal of Socialist Theory (Uni. Glasgow, Scopus 4). É fundadora da Rede de Estudos Globais do Trabalho (Nova Delhi/Índia). É membro convidado do Board of Trustees of the ITH-International Conference of Labour and Social History (Áustria), a mais antiga associação de estudos do trabalho na Europa. É membro da European Network in Universal and Global History (ENIUGH). É actualmente presidente da International Association Strikes and Social Conflicts, uma rede global de académicos e 35 instituições presentes na Europa do Norte e do Sul, América do Norte e do Sul, Ásia, África e Austrália. Foi responsável científica das comemorações oficiais dos 40 anos do 25 de Abril (2014). É avaliadora internacional do CNPQ Brasil. Foi curadora coordenadora da Exposição “Quando mudamos um país ele muda-nos com ele”, 45 anos do 25 de Abril, 2019. Nos concursos de bolsas de doutoramento e pós-doutoramento da FCT Raquel varela ficou sempre como 1ª classificada a nível nacional na área de história. Em 2013 recebeu o Santander Prize for Internationalization of Scientific Production (UNL) e em 2020 o Prémio da Associação Ibero-Americana de Comunicação/Universidade de Oviedo, Espanha, pelo seu contributo para a história global do trabalho e dos movimentos sociais. Em 2020 foi a primeira distinguida com a bolsa de investigação Simone Veil-Project Europe, Universidade de Munique. É editora convidada da editora Pluto Press, Londres. Raquel Varela é há 6 anos comentadora residente do programa semanal de debate público “O Último Apaga a Luz”, no canal público de televisão RTP 3, e escreve regularmente nos principais jornais nacionais, entre eles no principal jornal diário de referência do país, o jornal Público. Raquel Varela é uma das mais importantes divulgadoras de ciência no país e desde 2013 participou em 170 eventos de divulgação científica. É responsável pelo programa de história pública “Conversas com História”, no Centro Cultural de Belém, coordena o Observatório para as Condições de Vida e Trabalho na FCSH/IST.
Livros publicados (entre outros): Raquel Varela, Marcel van der Linden, Hugh Murphy, Shipbuilding Labour Around the World: a Global Labour History, (Amsterdam; Chicago University Press, 2015); Breve História da Europa (Bertrand, 2018), História do Povo na Revolução Portuguesa 1974-1975 (Bertrand, 2014), A Segurança Social é Sustentável. Trabalho, Estado e Segurança Social em Portugal (Bertrand, 2013), Quem paga o Estado Social em Portugal? (Bertrand, 2012), A História do PCP na Revolução dos Cravos (Bertrand, 2011), Revolução ou Transição? História e Memória da Revolução dos Cravos (Bertrand, 2012), Greves e Conflitos Sociais no Portugal Contemporâneo (Colibri, 2012), O Fim das Ditaduras Ibéricas (1974-1978) (Centro de Estudios Andaluces/Edições Pluma, 2010).

Raquel Varela is a historian, researcher and university professor. She is starting grant from the Foundation for Science and Technology / New University of Lisbon / IHC and fellow scholar of the International Institute for Social History (Amsterdam). She was a visiting professor at the Postgraduate Programme at Universidade Federal Fluminense, where she was responsible for Global Labour History. She is a professor at ISEC, in the area of Labour Relations. She coordinates the International project of global labour history “In The Same Boat? Shipbuilding industry, a global labour history”, at ISSH Amsterdam / The Netherlands. She has authored and coordinated 32 books on labour history, the welfare state, history of Portugal, history of Europe in the XX Century, history of social movements, and global history. Several of her books are translated into German, English and French. She has published 71 articles in journals with scientific arbitration in the areas of history, sociology, education, economics, social service and political science indexed by ISI Thompson, CAPES Qualis A, Scopus, among others. She is also the author of 75 book chapters published in Portugal, the USA, the UK, France, Brazil, Spain, Hungary, Greece, France. She has made 158 lectures as keynote speaker held in more than 50 national/foreign institutions in the last four years.
Raquel Varela coordinates 17 national and international funded projects. She tutors 12 post-doctorates, doctorates, and masters. She is a member of the editorial board of the academic journal Workers of the World (IASSC), and deputy editor of Critique. Journal of Socialist Theory (Uni. Glasgow, Scopus 4). She is co-founder of the Network for Global Labor Studies (New Delhi / India). She is guest member of the Board of Trustees of the ITH-International Conference of Labor and Social History (Austria), the oldest association of labour studies in Europe, and also member of the European Network in Universal and Global History (ENIUGH). She is currently president of the International Association Strikes and Social Conflicts, a network that gathers academics and 35 institutions from Northern and Southern Europe, Northern and Southern America, Asia, Africa and Australia. She was scientifically responsible for the official celebrations of the 40th anniversary of the 25 April 1974 Revolution (2014). She is an international evaluator of CNPQ / Brazil. She was curator of the exhibition “When we change a country it also changes us”, 45 years of 25 April, 2019. In 2013 she was awarded the Santander Prize for Internationalization of Scientific Production (UNL) and in 2020 the Prize of the Ibero-American Communication Association / University of Oviedo, Spain, for her contribution to the global history of labour and social movements. In 2020 she was the first awarded with the Simone Veil-Project Europe research grant, University of Munich. Raquel Varela is a guest editor at Pluto Press, London. She has been a resident commentator for the weekly public debate program “O Último Apaga a Luz”, on the Portuguese public TV channel RTP 3, and regularly writes in the main national newspapers, among them in the main reference newspaper of the country, Público. She is one of the most important disseminators of science in the country, having participated in 170 events of scientific divulgation since 2013, and is responsible for the programme of public history Conversations with History in the Belém Cultural Center, in Lisbon.

Raquel Varela obtained her graduation in 2005 in ISCTE-IUL (cum laude), post graduation in FCSH-Universidade Nova de Lisboa (cum laude), and her PhD (cum laude) in Political and Institutional History at ISCTE, Instituto Universitário de Lisboa, in 2010. She has done her post-doc in 2013 in IISH Amsterdam, under the supervision of Prof. Marcel van der Linden. Previously she studied Law at the Law Faculty of Coimbra University (1997-2000).

.

Scopus Author ID: 55545980400

Orcid: 0000-0001-6121-1379

Ciência ID: DD16-E114-C841

Books Author/ Livros Autor          

[–> Clique nos links para ver o livro na página da editora/distribuidora ou para download quando disponível <–]

  1. Varela, Raquel, A História do Povo na Revolução em Santo Tirso, Lisboa, Colibri, 2019. (Com Luísa Barbosa Pereira), 190 p., ISBN 978 989 689 851 9.
  2. Varela, Raquel, História da Revolução em Oeiras, Lisboa, Parsifal, 2019, 144 p., ISBN 978-989-8760-61-6.
  3. Varela, Raquel, A People´s History of the Portuguese Revolution, London, Pluto Press, 2019, ISBN 978-0-7453-3858-3, 334 p.
  4. Varela, Raquel, Breve História da Europa, Lisboa, Bertrand, 2018, ISBN 978-972-25-3319-5, 327 p.
  5. Varela, Raquel, Un Peuple en Révolution Portugal 1974-1975, Marseille, Agone, 2018, ISBN, 978-2-7489-0377-5, 393 p.
  6. Varela, Raquel, História do Povo da Madeira no 25 de Abril, Lisboa, Parsifal, 2017 (com Luísa Barbosa Pereira), ISBN 978-989-8760-39-5, 174 p.
  7. Varela, Raquel, Sines na Revolução dos Cravos, Lisboa, Colibri, 2017, 127 p. ISBN 978-989-689-665- (Com Luísa Barbosa Pereira e António Simões do Paço).
  8. Varela, Raquel, História do Povo de Loulé na Revolução Portuguesa (1974-1975), Lisboa, Editora Âncora, 2017, ISBN 9789729064838, 176 p. (com Luísa Barbosa Pereira).
  9. Varela, Raquel, Do Medo à Esperança, Lisboa, Bertrand, 2016, 181 p., ISBN: 978-972-25-3205-1 (Com António Coimbra de Matos).
  10. Varela, Raquel, Valério Arcary, Felipe Abranches Demier, O Que é Uma Revolução? Teoria, História e Historiografia, Lisboa, Colibri, 2015, 116 p., ISBN 978-989-689-524-2.
  11. Varela, Raquel, Para onde vai Portugal?, Lisboa, Bertrand, 2015, 261 p., ISBN 978-972-25-2934-1.
  12. Varela, Raquel, História do Povo na Revolução Portuguesa (1974-1975), Lisboa, Bertrand, 2014, 534 p.
  13. Varela, Raquel, História do PCP na Revolução dos Cravos, Lisboa, Bertrand, 2011, 399 p.
  14. Varela, Raquel, Pedro IV, Lisboa, Planeta DeAgostini, 2006, 156 p.
  15. Varela, Raquel, Fernão de Magalhães, Lisboa, Planeta DeAgostini, 2005, 143 p.

Books Edited/ Livros Coordenados

  1. VARELA, Raquel, “Don’t Fuck My Job” As Lutas os Estivadores, Uma Perspetiva Global, Famalicão, Húmus, 2019, 325 p. ISBN 978 989 755 429 2
  2. VARELA, Raquel, O 25 de Abril começa em África, Famalicão, Húmus, 2019.
  3. Varela, Raquel. História do Serviço Nacional de Saúde em Portugal – A saúde e a força de trabalho, do estado novo aos nossos dias, Lisboa, Âncora Editora, 2019. ISBN: 9789727806904. 358p.
  4. Varela, Raquel, Mattos, Marcelo, Terra, Paulo, História das Relações de Trabalho: Brasil e Portugal em Perspectiva Global, Rio de Janeiro, Consequência, 2017, ISBN: 978-85-694-3738-3.
  5. Mateus, José, Varela, Raquel, Gaudêncio, Susana, Roteiro da Revolução, Lisboa, Parsifal, 2017, ISBN 978-989-8760-35-7, 189 p.
  6. Paço, António Simões do, Cancela, Diogo, Tavares, Maria Augusta, Varela, Raquel, Trabalho, Acumulação Capitalista e Regime Político no Portugal Contemporâneo, Lisboa, Colibri, 2017, ISBN: 978-989-689-639-3, p. 262.
  7. Varela, Raquel, Marcel van der Linden, Hugh Murphy, Shipbuilding Labour Around the World: a Global Labour History, Amsterdam, Chicago University Press, 2017, 747 p., ISBN 978-94-6298-115-7.
    1. Ebook open access in http://press.uchicago.edu/ucp/books/book/distributed/S/bo23454408.html
  1. Varela, Raquel, et al, Trabalho, educação e conflitos sociais: Diálogos Brasil e Portugal, São Paulo, Verona, 2015, 391 p, ISBN: 978-85-67476-15-5.
  2. Varela, Raquel, et al, Actas do I Congresso de História do Movimento Operário em Portugal, FCSH-UNL, 2015, Ebook open access in https://run.unl.pt/handle/10362/17159 ISBN: 978-972-96844-6-3.
  3. Varela, Raquel, et al, Relações laborais em Portugal e no Mundo Lusófono. História e Demografia, Lisboa, Colibri, 2014, 305 p., ISBN: 978-989-689-412-2.
  4. Varela, Raquel (coord), A Segurança Social é Sustentável. Trabalho, Estado e Segurança Social em Portugal, Lisboa, Bertrand, 2013, 438 p., ISBN: 978-972-25-2681-4.
  5. Varela, Raquel, Quem Paga o Estado Social em Portugal?, Lisboa, Bertrand, 2012, 470p., ISBN 978-972-25-2513-8. (3ª edição).
  6. Varela, Raquel; Paço, António Simões do; van der Velden, Sjaak, Strikes and Social Conflicts. Towards a Global Labour History, Lisboa-Amsterdam: IASSC-IHC, 2012, 815 p., ISBN: 978-972-96844-1-8.
  7. Varela, Raquel (Coord), Revolução ou Transição? História e Memória da Revolução dos Cravos, Lisboa: Bertrand: 2012, 293 p., ISBN: 978-972-25-2418-6.
  8. Varela, Raquel; Noronha, Ricardo; Pereira, Joana Dias, Greves e Conflitos Sociais no Portugal Contemporâneo, Lisboa, Edições Colibri, 2012, 244 p., ISBN 978-989-689-188-6.
  9. Varela, Raquel; Abril 1974. Die Nelkenrevolution. Das Ende der Diktatur in Portugal, Berlim: Laika-Verlag, 2012, 344 p., ISBN: 978-394-22-81850.
  10. Varela, Raquel; Rosas, Fernando; Lemus, Encarnación, O Fim das Ditaduras Ibéricas, Lisboa, Edições Pluma, CEA, 2010, 264 p., ISBN: 978-84-938354-0-8.

 

Raquel Varela – A People’s History in the Portuguese Revolution 1974-75
A Video by Bertrand – Book Publisher
Videography: Tiago Abreu
Translation/subtitles: Sean Purdy and Beto della Santa:

18 thoughts on “Sobre mim/About

  1. Olá, Raquel.
    Nomeei (através do meu blogue em inglês) o seu blogue para um ‘blog award’. Espero que não se importe, e que aceite.
    Nina.

  2. Pingback: “Para que serve um Estado se não é Social?” À(à) conversa com Raquel Varela | 30 de janeiro | PlanetAlgarve

  3. Bom dia, considero o último Post exemplificativo sobre a austeridade. Apenas um grande negócio pago por todos nós (trabalhadores, pensionistas, reformados e de forma geral todos os portugueses que recorrerem aos serviços públicos).

  4. Ola! Estamos a tentar fazer um projeto que tem como objetivo a recolha e preservação de fotos, vídeos e cartas numa aldeia minhoto, SOAJO! Conhece algum investigador que queira participar, ou dar nos apoio técnico e científico? Obrigado
    MRodas1234@gmail.com

  5. Pingback: Abril à mesa! – de olho na mesa

  6. Cara Raquel,

    A sua forma de escrever incendeia-me, com a sua revolta, a sua paixão e os seus valores. Revejo-me na sua escrita como ha muito tempo não me revia em algo, pelo que quero dar-lhe os meus sinceros parabéns e apoio ao seu Blog.
    Espero que continue a escrever…

    Obrigado,

    Bruno

  7. Dr.ª Varela,

    Um aviso que me lembrei de aqui deixar, a propósito de uma recente série de comentários que ocorreu neste seu blogue – e que, já agora, aproveito para deixar nesta página (pois, não é apenas sobre a recente série de comentários, em particular, mas sobre algo que repetidamente tenho observado neste blogue) – é que:

    Existe, na Internet, um novo fenómeno de pessoas que são pagas pelo poder estabelecido para andar de volta de tudo o que sejam autores não alinhados com tal poder, para que, sempre que estes autores falem de assuntos mais “sensíveis” ou façam críticas/denúncias mais incisivas, encherem os comentários a tais colocações com textos que visam, de qualquer modo, denegrir ou desviar a atenção de tais denúncias.

    Isto não é mera “suspeita” ou “teoria da conspiração”, mas algo que já foi até confirmado por quem trabalha para a RTP, onde você por vezes aparece. E, se quiser ver as provas do que falo, deixo aqui as mesmas:

    h*tp://blackfernando.blogs.sapo.pt/para-quem-duvidar-de-que-existem-trolls-88000
    h*tp://blackfernando.blogs.sapo.pt/o-que-e-um-troll-14229

    (Por isso, de cada vez que faça você críticas mais sérias à actual situação, não espere outra coisa que não sejam comentários depreciativos – de “anónimos” e pessoas que não têm publicações próprias – que visam, de algum modo, sabotar tais críticas.)

  8. Olá Raquel,
    Estou a assistir ao programa “o último apaga a luz”, e finalmente, em todos este anos de discussão sobre pais, filhos, como se educa, etc, nunca ninguém disse uma verdade tão grande…. o estado obriga-nos a ter uma licença para conduzir, uma licença para ter uma profissão, uma licença para vender gelados, uma licença para poder apanhar pinhas ( incrível), mas nunca questiona um qualquer cidadão se tem competências físicas, monetárias, comportamentais e mais importante de todas, psíquicas para gerar uma criança….. Obrigado.

  9. Oh …Raquel …a malta de Massamá, Rio de Mouro, Moita, Trofa e outras localidades de gente simples, sabem quem é o Passos Coelho e muitos devem ter votado nele. Experimenta fazer melhor !!!!!!
    2018 – 3º ano de uma Legislatura de Esquerda, em que os agentes da comunicação social tentam convencer o Povo que está tudo bem.
    Com um Povo instruído por Académicos com um programa para a perpetuação da ignorância política.
    Hoje, nas Universidades portuguesas há menos consciência e debate político do que acontecia em 1970.

  10. Se o mundo fosse governado por Mulheres, tão sábias como a Raquel, estariamos a viver tempos fantásticos. Poder às mulheres. O homem constrói, a mulher comanda. Simples Felicidades

  11. Cara Raquel, gosto muito de a ouvir O último termo interessante foi solipsismo, usado na RTP3. Como webdesigner de wordpress dou-lhe umas dicas sobre o presente blogue. Coloque o cabeçalho (a fotografia está fantástica todavia) mais pequeno e procure um domínio, tipo raquelvarela.pt. Leia aqui: https://en.support.wordpress.com/domains/
    Dar-lhe-á maior visibilidade em termos de SEO (motores de busca). Dúvidas disponha.
    Melhores cumprimentos

    • Caro, Bom dia agradeço muito o seu contacto, e as palavras, sou eu que faço a gestão do blogue sem conhecimentos nenhuns…e não consigo nem mudar a foto nem fazer partilhas com foto no facebook como antes fazia nos artigos, uma confusão, qualquer ajuda é bem vinda! cump

  12. Boa tarde.
    Em relação ao estudo e comentários que fez sobre os enfermeiros serem os profissionais mais mal pagos do SNS Teve em consideração os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica? Com igual formação académica, com ordenados base mais baixos, sem progressão na carreira e actualmente sem terem sequer carreira aprovada.
    Gostaria tb de ter acesso ao estudo, pois não o consegui encontrar, apenas referências ao mesmo. Obrigada
    TSDT – 18 anos de função pública, mestrado, 3 pós graduações, formações contínuas constantes e a receber 864€ mensais.
    Obrigada

  13. Como investigadora tem a obrigação de não dizer inverdade como ser socialista, quer isto dizer que a sua crença sobrepõe se à verdade o que retira creditos aos sus resultados. Hs de dizer na rtp3 que pais tem socialismo verdadeiro, pois falsos existem muitos e sem vergonha como as manas mortaguas que peo romantismo todo a assalto é justificado.

Comments are closed.