Uma e outra vez, de novo.

Depois de ter permitido que o país (que em condições normais tem picos de calor e vento desde sempre) fosse plantado de lés a lés de eucalipto o Estado, que nunca teve uma política florestal concertada, apela a que não sejamos “negligentes”. Multiplicam-se discursos. É evidente que devemos ser cautelosos ao máximo, mas achar que é com rezas que se evitam tragédias, é a parte trágica de tudo isto. Um eucalipto a arder com vento expulsa bolas (fitas) de fogo a kms de distância. Depois do “salvemos o SNS não comendo bacalhau à Brás”, cabe agora o momento “talvez a tragédia não chegue se não fizermos uma sardinhada”. Sim, fazer churrascos com 40 graus no pinhal é estúpido, e negligente, é proibido e ainda bem que o é. Mas fazer discursos de culpabilização individual para uma política nacional ecológica, agrícola e florestal desastrosa não é menos negligente. É mais. É como andar a 300 à hora e querer travar em 2 segundos. Porque se uma família, sem posses, planta uns eucaliptos para vender pasta de papel a uma multi(nacional) e conseguir pagar os estudos de um filho, o Estado tem obrigação de saber que isto, com dias – normais, que todos os anos existem – de 40 graus, vai significar uma tragédia para a nação como um todo. Conseguir dar notícias de alertas, pânico, discursos, sobre fogos sem nunca dizer a palavra eucalipto é um esforço político e editorial que me deixa espantada. Os governantes estão em pânico, claro. Os dias que aí vêm são o caldo (normal) do Mediterrâneo que, por isso, tem espécies (carvalhos, entre outros) que não ardem ou ardem lentamente. Estou a ver imagens de eucaliptos a arder e nunca em momento algum a palavra é referida. O que há são discursos culpabilizadores dos cidadãos (que ao mesmo tempo são desresponsabilizadores dos governantes), e entrevistas a pessoas humildes, desesperadas, a pedir “ajuda a Deus” a verem as casas de uma vida em risco, vítimas de tudo isto. Que impotência! Há tantos problemas na humanidade para os quais não há solução, há tantos outros que são amplamente conhecidos. E vemos repetirem-se os dramas, recheados de cinismo e “surpresa”. O que há de novo neste ciclo de arde/tragédia/eucalipto/calor? Nada.

5 thoughts on “Uma e outra vez, de novo.

  1. Está claro que a Raquel tem toda a razão, mas não se iluda porque eu tenho observado a evolução das classes dirigentes do nosso País ao longo dos últimos 48 anos e tenho concluido que infelizmente temos uma população numerosa que é trabalhadora e razoavelmente honesta, mas infelizmente com pouca formação, e depois temos umas elites completamente ineficientes, preguiçosas e com um agrado pela corrupção a aumentar exponencialmente. Como estas elites se estendem das esquerdas às direitas vai er difícilimo alterar este estado de coisas. Cumprimentos, CA

  2. Nem mais!
    Mas que esperar de um país cujo PR anda á 7 anos a falar diariamente sobre tudo e mais alguma coisa como se das suas falas se resolvessem os graves problemas do país.

    • realista, verdadeiro, são as realidades proibidas na razão de vida, a subjugação do bicho humano ao lucro, isso o Grupo PUTIN, conhece e sabe quanto pesa, quanto lhe fica aos pés. Está o bicho humano assim, por isso, não hã remedio à vista para a desgraça anunciada da humanidade, as pessoas, já convivem com o drama incêndios na normalidade, indiferença, menos aqueles que o mal lhes bate à porta; somos assim em tudo, os bípedes, os quadruples, esses não são diferentes

  3. Incêndios? Tem de continuar a haver, senão como é que se vendia equipamento e se alugavam helicópetros e aviões para o combate? Há que ter sentido de estado, perdão, sentido de lucro e explorar bem as janelas de oportunidade….

  4. É realmente um sinal da incompetência governativa /administrativa esses comentários ignóbeis feitos publicamente por elementos da Administração pública, desde o António Costa à Graça Freitas, mas apoiados de perto por Presidente da República que me envergonha quando se ridiculariza.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s