Perguntas sobre as Medidas da Pandemia

As minhas dúvidas face à pandemia e às medidas em vigor.Algumas são questões retóricas, cuja resposta sei, mas muitas outras não – são dúvidas que existem e persistem na ausência de resposta com dados claros.

1) Se a vacina é eficaz face a esta variante porque se insiste em medidas restritivas? Se a vacina evita a morte ou casos graves, portanto não pressiona o SNS, porque há medidas cujos efeitos na saúde mental e no emprego são devastadoras? Se não é eficaz porque se insiste em vacinar grupos que não são de risco ou sectores cujos efeitos a longo prazo são desconhecidos (como grávidas e crianças e adultos jovens)?

2) Se os dados sobre esta variante Omycron se confirmarem – se – como indicam para já alguns estudos na Dinamarca, Inglaterra e África do Sul, ou seja, que os sintomas são os de uma constipação, que afecta as vias respiratórias superiores não dando origem a casos graves de pneumonia, não devemos estar mais calmos porque significa imunização geral da população, uma espécie de “vacina viva e gratuita” (cito médicos e epidemiologistas)?

Reitero outras, as mesmas dúvidas de sempre, para as quais continuamos sem resposta:

1) É ou não verdade que a imunização pela doença é muito superior à da vacina? É relativamnete fácil responder a isto: quantos casos existem de doentes que já estiveram doentes, e quantos casos existem de reinfecção em vacinados?

2) Há dados claros sobre miocardites e mortes súbitas nos 15 dias ou 1 mês depois da vacina? Se já há estudos em atletas e a comparação é fácil – dados de morte súbita nos últimos 10 anos e no último ano – não eram esses dados claros que deviam ser dados à população em vez de pedidos de “acreditem nas autoridades”? Numa democracia a população não deve acreditar nos dirigentes, devem confiar nos dados, evidência e racionalidade política dos dirigentes. A voz dos dirigentes não é um dogma nem uma entidade divina laica, é uma racionalidade social e política baseada em teorias e metodologias que têm que ser explicadas à população para que esta decida as medidas a tomar.

3) Se a pressão sobre o SNS vem dos não vacinados e estes são residuais qual o sentido de medidas discriminatórias (que em algum caso sufragaria por razões democráticas) mas insisto na questão, sendo este número residual, com 90% de vacinados quando o impacto disto no SNS?

4) Ouvi Maques Mendes comentar taxas de não vacinados igualando estes aos vacinados com 1ª e 2ª dose, sim, na SIC, na mesma coluna, foram todos colocados juntos, qual a racionalidade desta conta?

5) Qual a taxa de morte/letalidade da situação actual face a outros anos com médias, de doenças respiratórias?

6) Hoje o problema da doença e da morte do SNS é na resposta COVID ou não COVID?

7) Há surtos em transportes e fábricas ou não há testagem? Porque a testagem é nos lugares de lazer e escolas deixando as empresas e fábricas fora da análise?

8)A China anuncia 200 casos, alguém acredita nestes números?

9) Há ou não terapêutica não patenteada que países como a Índia e China usam em massa, e isso reduz a letalidade como foi sustentado por um catedrático de farmacologia – Prof. João Gonçalves – há uma semana num jornal de grande tiragem português?

10) A imunidade de grupo é uma quimera pelas mutações? Como se explicam diferenças tão grandes entre países asiáticos, africanos e europeus e dentros do EUA entre estados com políticas diametralmente opostas?

11) Todas as vacinas, que tomamos, têm efeitos secundários e em casos muito raros, graves, há ou não diferença qualitativa entre o número de efeitos secundários destas e de outras? Dado que há monitorização, pelo menos dos imediatos, o que dizem os números?

12) Que sentido faz o encerramento de fronteiras num vírus que em 2 semanas já tinha uma variante dominante em todo o mundo?

13) O director da OMS disse, em directo, que a pandemia não irá ser combatida com doses de reforço nos países ricos, quais as consequências desta afirmação?

14) Quem defende medidas de restrições de direitos está convencido que esse aumento do poder do Estado face aos cidadãos vai ser revertido?

15) Quem defende confinamentos o que pensa dos 70% de trabalhadores que nunca se puderam confinar, e que hoje estão com quebras salariais de 30 a 40%, ou sem quebras salariais mas com as suas reformas em risco (usadas como fundo de maneio pelo Estado em layoff), com a saúde mental devastada, sua e dos seus filhos (porque sequer têm dinheiro para acompanhamento nessa área), que viram os filhos regredir na escola? Qual a solidariedade social que existe em mandar confinar o lazer de quem não se pode confinar e ficar em casa em teletrabalho a defender restrições?

16) Estes dois anos foram aproveitados pelas pessoas que defendem o confinamento e a restrição democrática, para defender políticas de habitação, alimentação e condições de trabalho que evitem comorbilidades precoces?

17) Hoje há mais ou menos especialistas em exclusividade no SNS do que havia há 2 anos?

18) Aproveitámos esta crise para tirar lições de como as sociedades estão mal organizadas e fizemos propostas de defesa da comunidade, da saúde pública e da democracia?

Um dia perguntaram a Feynman, físico, o que ele fazia com perguntas estúpidas dos alunos, ele respondeu que não há perguntas estúpidas, há respostas estúpidas, uma pergunta é um desafio, bem vindo, a resposta pode ser estúpida, a pergunta encerra uma dúvida que tem que ser respondida.

A diferença entre uma política democrática de saúde pública e uma política bonapartista é que a população decide o que é ou não mais certo e racional, para tal devem ser ouvidos os cientistas (das ciências sociais também!), que devem ouvir a população, não é normal em democracia haver uma decisão técnica que não nos presta contas e decide por nós a vida em comunidade. Toda a ciência deve ser política e toda a política deve ser científica e nenhuma delas deve ser um exercício paternalista sobre a população.

11 thoughts on “Perguntas sobre as Medidas da Pandemia

  1. Temos um grave problema de saúde metal, e ninguém tem a coragem de falar, a comunicação- social, limita-se a passar mensagens do governos, e não só… todas elas com posições neoliberais e tiques…

  2. Eu gosto muito dos livros (de física) do Feynman. As perguntas dos alunos do Feynman eram feitas nos anfiteatros do Caltech pelo que se subentende que eram, em comparação com os padrões vigentes nos palcos televisivos e das redes sociais, extremamente bem informadas e feitas por gente com uma capacidade intelectual acima da média. Por outro, o Feynman sempre teve uma face cabotina, que lhe permitia pérolas como a de ter dúvidas sobre a utilidade da escovagem dos dentes depois das refeições, como se ignorasse a relação entre o açucar e o crescimento das colónias de bactérias. Para sermos justos, o seu caso não tinha nada a ver com “Nobelite”, estava mais próximo da “Anti-Nobelite”; mesmo assim, a fenomenologia era, por vezes, poucas, indistinguível daquela. Já nem sei por que razão me lembrei disto …. é sempre prudente “pôr um grau de sal” naquilo que ouvimos os “génios” dizer.

  3. Cara Raquel Varela, como sempre, muito assertiva.
    As questões que coloca, e que vem colocando há quase dois anos, são questões que apresento às pessoas que me rodeiam.
    Para elas, eu sou irresponsável, a amiga negacionista, aquela que se recusa a tomar a vacina para poder ir ao ginásio, aos espectáculos, restaurantes, basicamente, tudo que se enquadre no lazer.
    Para elas, eu sou teimosa e não aceito as regras – desobediente, vá… Ora, também fui investigadora e, por isso, sei muito bem como se desenvolve um processo de investigação científica.
    Mas as tais pessoas que me rodeiam continuam a pensar que sou negacionista, porque não vejo o que está a acontecer. E o que está a acontecer é muita gente sem cuidados de saúde e gente cheia de medo do bicho do papão, ansiosa pela substituição do Sr. Marcelo, pelo sr. Gouveia e Melo: o D. Sebastião que afinal nunca nos salvou. Será que é ele que nos vai salvar desta palhaçada?
    Foi um desabafo, obrigada por todo o seu contributo, paciência e persistência. Pena é, que a sua voz não seja escutada por mais gente! Escutada, no verdadeiro sentido do termo; sem estar a pensar em como rebater (de forma dogmática) o que nos apresenta.
    Bem haja, Raquel!
    Feliz Ano Novo!

  4. Infelizmente continua a faltar a referência aos medicamentos que curam a doença e impedem a transmissão, à falta de autópsias, sobretudo aos mortos pela vacina, à cerrada censura mesmo sobre publicações de reputados cientistas, ao absurdo de estarmos no auge da vacinação e das medidas de contenção e os números de casos dispararem, ao nº de mortos e doenças graves causados pela vacina, etc. Porque será??????

    • Existem medicamentos, suplementos e até comida para ajudar a curar… além de protocolos e práticas médicas.
      A importância destes assuntos é debatida mais pelos ditos negacionistas.
      O interesse de manter o “status quo” é para dar mais poder às farmacêuticas e aos corruptos no sistema.

  5. Boas questões levantadas… e é mais importante reunir todos os políticos que confrontar vários médicos e especialistas da saúde.

    Segue um apanhado de questões:
    – É verdade que o Tedros disse: “Alguns países estão dar reforços para matar crianças, o que não está certo.” ?
    – É verdade que durante o painel do FDA, se verificou que se estava a matar mais pessoas do que a salvar, através da inoculação?
    – Existem conflitos de interesses no governo e na saúde ? Por quem e quais ?
    – Porque várias definições foram mudadas ? como exemplo a imunidade de grupo e pandemia.
    – Existem números Pandémicos de Gripe desde 2018 até 2020, sem ter sido decretada alguma Pandemia ?
    – Se mais de 90% está “protegido da infeção e morte” porque é que este ano morreram mais pessoas ? (tendo em conta que todo o risco ficou reduzido com as medidas restritivas impostas, incluindo o confinamento)?
    – É verdade que, segundo o CDC, é necessário melhorar os testes para diferenciar melhor entre o SARS-CoV-2 e os vírus Influenza ?
    – Qual o tempo médio dos óbitos, após inoculação ?
    – Qual a percentagem de outros vírus respiratórios para além do SARS-CoV-2 ?
    – Qual a percentagem de Influenza detetada antes e depois da introdução do SARS-CoV-2 ?
    – É verdade que a OMS recomendou testar primeiro Influenza antes do SARS-CoV-2, para despiste?
    – Porque é que os eventos adversos a produtos medicamentosos tem vindo a aumentar em Portugal ?
    – A vacina é obrigatória ou opcional ?
    – Posso dar sangue já estando vacinado ?
    – Posso efetuar Ressonâncias Magnéticas já estando vacinado?
    – A vacina é experimental ou já tem a aprovação final ?
    – É necessário um grupo de controlo até que fase do desenvolvimento da vacina ?
    – Esse grupo de controlo é injectado com que substância, relativamente ao grupo principal ?
    – Foi verificado que os vacinados transmitem de mais do que os por vacinar, aplica-se a todas as vacinas?
    – Se tiver uma reação adversa que se encontre fora da bula, tenho direito a indeminização ? ou são apenas as incluídas na bula ?
    – Qual o número de reações adversas para cada vacina ? Ultrapassa mais de 5000 reações adversas de forma detalhada ? (YellowCard Astra)
    – Se as vacinas são seguras porque é que existem programas de compensação de indeminizações após vacina ?
    – Quais as relações entre as doenças ocorridas após vacinação e o produto inoculado ?
    – As vacinas da gripe que incluem a proteção do CoViD também vão ser usadas sem testes de longo prazo ?
    – As novas vacinas da gripe já têm a proteção com o CoViD ? Também são experimentais ?
    – Qual a relação entre a vacina e o material Grafeno ou Óxido de Grafeno ?
    – Porquê que a vacina C19 falha na proteção e pessoas completamente vacinadas, pois vão parar às UCI’s ?
    – Qual a razão de existirem milhões de reações adversas e milhares de mortes após inoculação da C19?
    – Porque é que milhões de pessoas estão com problemas após vacina, tirando os que faleceram ?
    – Conhece alguém que sofreu ou sofre das reações adversas ? alguém que morreu?
    – Como os mortos nem sequer podem reportar os eventos, estão a considerar estas variáveis nas análises de eficácia ?
    – Como os casos que reportados são muito menos do que os eventos atuais, porque é que se ignora essa percentagem?
    – Porque é que várias pessoas de todas as partes do mundo, após vacina, estão magnetizadas ?
    – Já verificaram algum vídeo traumático do sofrimento após vacina ? Existem mais de centenas de vídeos?
    – Sabem se a próxima pessoa a ser inoculada vai ter algum problema de saúde relacionado, após ou mesmo mais tarde?
    – Quem é que se responsabiliza se eu tiver reações adversas ou mesmo falecer após vacina ?
    – Quantos vírus e mutações catalogas é que existem e que podem ser transmitidos e causar doenças ?
    – Como posso ser irresponsável, se o Estado, as Farmacêuticas, os Médicos, as Enfermeiras, nem sequer se RESPONSABILIZAM?
    – Quantas instituições já isolaram o vírus ?
    – Porque é que dos negacionistas são… 2x Prémio Nobel da medicina,1x Prémio Nobel da Química,1x Inventor de vacinas mRNA, 1x Especialista mundial de doenças infeciosas, entre outros importantes cargos ?
    – Quantas variantes foram produzidas com a VACINAÇÃO ???
    – Quantas vezes é que é necessário dizer responder NÃO a inoculação, para deixar de ser violação? À TERCEIRA ? À QUARTA?
    – É possível que depois da imunização a pessoa já se encontre esgotada, a nível celular, para se defender?
    – É possível reverter o processo de vacina ?
    – Quantos vírus existem no planeta terra ?
    – Quantos são os vírus que são mortais para o ser Humano ?
    – Qual a percentagem de sobrevivência do vírus ? o número é oficial ?
    – O vírus tem várias patentes associadas ? As patentes são antigas ?
    – Se o vírus faz mutações, os testes detetam qual mutação?
    – É possível que uma pessoa nunca seja contaminada ?
    – Quais as percentagens das pessoas que recuperaram da doença ?
    – Os testes detetam vírus ou material genético ?
    – Qual a razão dos testes serem feitos dentro de carros e outros locais sem condições ? Pode existir contaminação nesse local?
    – Porque é que durante a pandemia os dirigentes políticos, deputados e comunicação social estavam excluídos das medidas restritivas ?
    – Ao participar em tratamentos experimentais humanos estou a ir contra tratados internacionais como o de Nuremberga, UNESCO entre outros ?
    – Ao ser complacente com crimes internacionais, sujeito-me a ter pena de morte ?
    – Porque é que vários médicos e advogados estão a processar várias entidades, das quais se incluem a Organização Mundial da Saúde ?
    – Porque é que várias pessoas de todo o mundo que durante meses se juntam em manifestações e nem sequer morrem da infeção ?

    – Após aceitar o conceito que as pessoas podem sofrer após a inoculação, surge a questão mais importante: Cada um de nós aceitaria que um pai, filho, avós, mãe, alguém amado ou mesmo um próximo relativo, sofresse ou mesmo morresse através da inoculação?

    – Quantos efeitos adversos foram criados? Esse sofrimento e a dignidade destas pessoas é descartada como se nada fosse?

    – Quantas pessoas é que têm a marca da vacina? (O corpo ficou com uma cicatriz e nem sequer foi capaz de reparar o dano causado. Por mais pequeno que seja é dano, fazendo prova que causa dano).

    -Os produtos para inocular as crianças são novos, também são experimentais?
    -A prescrição médica da vacina é obrigatória segundo o INFOMED. Existe desrespeito dos protocolos, procedimentos, lei e/ou regras pela ausência de prescrição ?
    – Porque é que existem mais eventos adversos relacionados com a doença da moda comparativamente as outras vacinas (dados de 1988 até 2021, VAERS)?
    – Porque é que os fabricantes mencionam no folheto informativo das vacinas que a vacina pode não proteger as pessoas ? Exemplo, Fonte EMA: “Tal como acontece com todas as vacinas, vacinação com Vaxzevria pode não proteger todos os destinatários da vacina.”
    – Porque é que existem variantes causadas pela Vacina ? Exemplo cVDPV2.
    – Foram adicionados os seguintes riscos na avaliação risco/benefício das vacinas? ou só foi a resposta imunitária ?
    * Erros na fabricação;
    * Contaminação do produto final (já foi verificado é um ponto a melhorar, existe muita contaminação);
    * Adjuvantes, preservativos, estabilizadores e outros componentes que possam causar risco de reações adversas;
    * Administração incorreta e problemas relacionados;
    * Falha na vacinação deixando de produzir os efeitos desejados;
    * Produto defeituoso;
    * Criação de variantes mais resistentes derivadas da vacinação.
    – É verdade que adicionando algo mais a um sistema, vai tornar o sistema mais complexo ? Poderá aumentar o Risco ?
    – É verdade que uma pessoa imunodeprimida pode estar em risco ao ser vacinada? Pode ter dificuldade a criar defesas e o sistema imunitário ficar “aflito” ou mesmo comprometido ?
    – Existe algum risco associado à inoculação ?
    – É possível reverter a inoculação ? Ou é uma decisão para o resto da vida ?

    • Saliento que na mais recente nota da DGS sobre o que fazer quando se tem sintomas ou teste positivo, não existe a mínima referência a TRATAMENTO. E eu a pensar que quando uma pessoa adoece, a primeira coisa a fazer é tratar-se, vejam lá como me enganei. Porque será????

  6. Fica a questão do ANO de 2021….

    Porque é que a mortalidade geral é superior com medidas de SAÚDE PÚBLICAS ?

    Mais óbitos em 2021 do que 2020.

    Confinamentos, isolamento, restrições à circulação e todas as outras medidas limitando exposição ao risco … de maneira a garantir a SAÚDE.

    Se e Portugal com Medidas Sanitárias + Inoculação + Testes + Restrições + Isolamentos + Teletrabalho = MAIS ÓBITOS … é melhor deixar as medidas.

    Fonte:
    https://evm.min-saude.pt/#shiny-tab-a_total

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s