Caso de estudo

O que falta explicar é porque há um aumento grande de casos e uma diminuição substancial de doentes e de doentes graves. A rigor é preciso ler quase no fim dos artigos que num lar onde há “80 infectados!!!”, todos doentes de risco, na sua maioria com 90 anos, lê-se que são 80 positivos, dos quais 70 assintomáticos, e 2 estáveis. Ou num surto numa escola há “70 alunos em casa!” – 1 tem sintomas ligeiros, 69 estão sem sintomas. Há qualquer coisa que não bate certo.
Sempre fui a favor de cuidado, na dúvida. Não pertenço ao grupo dos negacionistas nem dos conspirativistas. Proteger os mais frágeis é urgente (que continuam sem ser protegidos). Mas a forma de dar estes números é já um estudo de caso do jornalismo. Nada disto faz sentido, está criado um clima de susto e pavor que obstaculiza uma reflexão de um problema complexo.

8 thoughts on “Caso de estudo

  1. Raquel pense agora no caso de reguengos… Se não me engano 18 morreram não pelo vírus mas pelo abandono…

    Agora se pensarmos que mais de 60% dos mortos na Europa aconteceram em lares ou care homes… Terá sido do vírus? Ou do pânico e medidas parvas como isolar “assintomáticos” deixando os centros com grave falta de pessoal?
    Pois nunca saberemos ao certo! Mas que não faltam ai notícias como a de reguengos pela Europa e mundo fora…

  2. Mas Raquel, fazer perguntas, de todo pertinentes, baseada nos dados disponíveis, já é sinónimo de se ser “negacionista” e “conspirativista”.

    “Há quem tenha medo que o medo se acabe!” (Mia Couto)

  3. Do que leio neste pequeno texto (eu não me dou ao trabalho de ler quase nada do que dizem os média de massas portugueses sobre isto – pois, sei que este novo vírus não é mais perigoso do que o da gripe) deduzo que, o que tenha então acontecido foi que simplesmente aumentaram o número de testes.

    A maior parte das pessoas que apanha este novo vírus é assintomática…

    h*tps://www.irishtimes.com/news/health/coronavirus-cases-may-be-tens-of-times-higher-than-previously-thought-study-says-1.4232557

    Logo, se testarmos mais assintomáticos, temos maior número de casos, sem variação no número de doentes. E, se testarmos menos assintomáticos, temos menor número de casos, sem variação no número de doentes.

    (Do que me lembro – aquando do final da primeira vaga(?) – foi até admitido, há umas semanas, na televisão – por alguém do governo(?) – que o aumento do número de casos, na altura, se devia ao aumento do número de testes.)

    Desta maneira, manipula-se a percepção pública da perigosidade deste vírus – e justificam-se as novas medidas de Estado Policial.

    O Estado Policial que irá ser implementado não tem nada a ver com o surto do vírus. Pois, o último está a ser meramente usado para camuflar o inevitável Colapso Económico que se avizinhava – causado pelo facto de que o Capitalismo não pode mais crescer e, por ter consumido a maior parte dos recursos naturais disponíveis, necessários ao seu processo de crescimento, está agora a entrar em Colapso.

    Leiam: h*tps://twitter.com/EstulinDaniel

    E, com a desculpa do vírus: faz-se as pessoas ficarem a trabalhar em casa, para gastarem menos gasolina e afins (o petróleo está a acabar); provoca-se um Colapso controlado da Economia – seguindo o mesmo princípio das avalanches controladas – restringindo os horários de funcionamento dos estabelecimentos comerciais; e obriga-se as pessoas a ficarem em casa, proibindo também o ajuntamento destas, para que não haja convulsões e manifestações sociais.

    (Sabiam que, no tempo do Salazar, também havia o crime/infracção de “concentração” de pessoas?)

    Quanto aos “casos de estudo” do jornalismo que é praticado,

    A quase totalidade do jornalismo, neste país, é controlado pelos grandes interesses económicos, que são quem controla também os governos que temos e está por trás da transição que irá haver para uma sociedade fascista ou neofeudalista, que irá substituir a capitalista que temos.

    Mais uma vez, leiam: h*tps://twitter.com/EstulinDaniel

    Por isso, se pensam que vai ser um lacaio destes interesses a denunciar os últimos, podem esperar sentados…

  4. Enquanto isto, no mundo verdadeiramente desenvolvido…

    1) h*tps://latribunadelpaisvasco.com/art/13731/centenares-de-medicos-y-profesionales-de-la-salud-de-todo-el-mundo-firman-un-comunicado-alertando-de-que-el-covid-19-es-la-mayor-estafa-sanitaria-del-siglo-xxi

    2) h*tps://acu2020.org/international/

    3) h*tps://blackfernando.blogs.sapo.pt/manifestantes-contra-o-estado-policial-195216

  5. Comparativo Imperativo -> Gripe vs Covid19: Nº de Infetados; Nº de Mortes.
    Perigosidade comparada -> Similar.
    Assunto arrumado.
    Voltemos à vida.
    Bem, talvez não. A doutrinação foi feita, o medo irracional (doença viral) disseminado.
    E agora? Como meter novamente o “animal” na jaula?
    Pela vacinação, claro está. Não se esqueçam de tomar a vacina da gripe primeiro.
    Se um só vírus mata muito pouco, uma guerra biológica matará muito mais.
    Controlo populacional ‘obligé’.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s