Bom senso precisa-se

A lei portuguesa prevê que só uma pessoa só possa passear no parque. Até prova em contrário isto é incompreensível, é uma daquelas medidas de “estamos a ser muito sérios” mas sem qualquer reflexão séria e compreensão do país real, quer da sua geografia, território ou sociologia. Tenham bom senso e façam uma lei como na Dinamarca, e na Bélgica – as pessoas podem sair duas da mesma casa e só para espaços abertos de passeio. Fechem restaurantes, aeroportos e grandes fábricas onde pode haver contágio mas deixem passear no parque ou ao ar livre duas pessoas juntas, desde que vivam no mesmo tecto. Isso permite aos casais, e aos pais com filhos, muitos deles menores, sair e apanhar sol. Compreendam: nós somos animais sociáveis , precisamos dos outros, uma das maiores bombas que o sistema imunitário tem é a ocitocina, a hormona do amor, do orgasmo, da amamentação, dos abraços, que nos modula o stress, a ansiedade, é uma espécie de travão ao medo. Ela é produzida pelas relações de amor e de amizade, pela cooperação, pelo contacto afectivo. Estamos agora distanciados de grande parte dos que amamos, dos amigos – e isso é correcto, e deve ser cumprido, temos sido muito responsáveis. Por isso não há razão alguma para não deixarem uma mãe passear no parque com um filho, a 2 metros do vizinho da frente, do vizinho que abraça a mulher. E deixarem a mesma mãe sair à rua com o cão!?

Vejam o que fizeram outros países – as medidas de cautela e quarenta são correctas mas elas não podem destruir psicologicamente as pessoas. Aproveitem e leiam Vigotsky, Luria, os mestres soviéticos do mais conhecido Oliver Sachs – não existe alma e corpo, a neurologia é neuropsicologia (a ler Em Movimento, do Oliver Sachs). Todas as medidas devem atender ao conjunto do nosso todo, e a dimensão psíquica é fundamental. Estamos a viver o momento mais difícil das nossas vidas como sociedade, é inútil acrescentar problemas. Deixem as duas pessoas (não mais de duas, concordo) que estão abraçadas em casa apanhar sol juntas. Isso não muda nada no contágio, pelo contrário, pode ajudar porque produz vitamina D, ocitocina e evita uns milhões de gastos em anti depressivos, suicídios, e outras tragédias daqui as uns meses.

Temos uma longa costa atlântica, pinhal e campo, parques e montes. Ainda ninguém explicou porque a praia faz mal, se mantivermos a distância social. Somos um país pequeno e não uma cidade chinesa com 40 milhões de habitantes a viver em formigueiro. Aproveitemos esta vantagem para impor medidas de quarentena sérias, com as quais concordo, mas que sejam coerentes com a diminuição do mal estar geral. Tenham a sensatez de olhar para o país real, onde numa aldeia dois velhotes vão todos os dias fazer a sua caminhada, que lhes evita hérnias discais; onde na costa de Lisboa um pai passeia a filha e isso torna a clausura menos insuportável; onde no Alentejo uma filha leva a mãe na cadeira de rodas até ao chafariz da aldeia. Não massacrem mais quem está em casa, a proteger-se e aos outros, e que muito antes do Governo sugerir, começo a manter educadamente a distância social. Tenham bom senso.

Advertisement

6 thoughts on “Bom senso precisa-se

  1. Irrepreensível.
    As medidas desenhadas hoje, por quem de direito,devem contemplar esta possibilidade, por um lado, por não representar qualquer problema no âmbito do contágio e, por outro lado, por promover, exactamente, a saúde pública.

    Rui Ferreira
    Professor de Educação Física

  2. Profª
    Estamos fartos do seu bom-senso.
    E a senhora onde está?No parque ou em casa a escrever? De de certo estará bem protegida ao contrários de muitos trabalhadores que estão em situação de risco a atender os cidadãos que precisam no mais diversos ramos.

  3. Aquele Manuel AR deve ser um apaniguado do Costa, não deve ganhar muito porque o Costa já tem favoritos
    Não posso deixar de apoiar fervorosamente a Raaquel Varela , uma pesssoa de grande lucidez . Não quer dizer que esteja sempre de acordo com ela

  4. Muito obrigado dr Raquel Varela pelos seus alertas e pelo não calar as críticas que tem de ser feitas a este poder que na realidade se está a borrifar para o cidadão comum.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s