O erro na saúde dos jornalistas

Os jornalistas exigem (e bem, quanto a mim) manter independência face ao Estado, mas não contestam a dependência do mercado. É assim que todos os problemas do SNS – reais e exagerados – fazem capa de jornais. Mas as crianças que são enviadas dos cuidados intensivos – sim, leram bem – do privado para o público porque o seguro não paga os dias todos; os doentes com cancro que deixam de receber tratamento porque atingiu o valor limite do seguro; as mortes maternas no privado serem muito superiores do que no público; os colapsos informáticos dos hospitais privados (vários nos últimos anos); o pagamento de baixos salários a enfermeiros; a ausência de trabalho em equipa dos médicos, com aumento de erros em medicina potenciado, tudo isto não faz capa de jornais. A independência é um mito, quando se considera o mercado um espaço de liberdade.

4 thoughts on “O erro na saúde dos jornalistas

  1. Estas são as politicas levadas acabo pelos sucessivos governos e, por este que se diz Socialista e com apoio das suas muletas de “esquerda”, não excluindo o Marcelo ( afilhado de ,Marcelo Caetano. Como diria o meu saudoso Avô materno, “só mudaram as moscas, mas a m…. é a mesma” !
    Boas Festas

  2. Não existe tal coisa como “jornalismo independente”… Por mais que uma pessoa se esforce, o seu ponto-de-vista reflecte-se sempre no que reporta. E, acima de tudo, o simples facto de se escolher reportar algo em detrimento doutro elimina, logo à partida, a dita “independência”.

  3. Também, se os seguros (na sua grande maioria) fossem algo que compensasse, para o comum cidadão, já as companhias de seguros tinham ido à falência. E, mais do que isso, não eram as últimas que andavam atrás das pessoas, para que estas aderissem aos seus seguros. (É mais uma daquelas lógicas tão elementares – mas que, infelizmente, a maior parte das pessoas é incapaz de inferir…)

  4. Obrigado, Dra. Varela, por nos manter a par destes factos importantes…

    Já aqui disse, e repito, que você é a única voz de jeito da Esquerda em Portugal – pois, o PCP (para além das baboseiras que agora diz) decidiu entretanto cometer suicídio político.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s