Tempos Modernos, Jornadas Antigas

O que isto provou é que este país em matéria laboral é um atraso, confrangedor. Os trabalhadores não desrespeitaram os serviços mínimos. Limitaram-se a cumprir a lei, trabalhando 8 horas. E as empresas dependiam e dependem para sectores vitais de 14 e 15 horas diárias de cada um deles para assegurar o “regular abastecimento dos postos”. Sim, jornadas de trabalho regulares do século do XIX. E o que a Antram quer é continuar a usar as mesmas 14 e 15 horas de trabalho pagando 700 euros, mais uma isenção de horário de 280 euros, ou seja 900 euros por 50 a 75 horas semanais de trabalho. Agora pergunto, se este é um sector tão vital para a economia porque depende de horários de trabalho de 15 horas? E se é essencial ao país porque está entregue na mão de empresas privadas?

Reitero: há 20 anos estes homens trabalham numa empresa pública chamada Galp, 8 horas por dia e ganhavam o equivalente hoje a 1400 euros. Agora trabalham para uns duvidosos senhores, reunidos na Antram, que lhes pagam metade porque a Galp paga metade. A Galp que anuncia, só para este ano, 109 milhões de euros de lucro. Foi portanto não uma requisição civil, mas uma requisição da família Amorim e dos accionistas intermediários, executada pelo Governo, e paga com os nossos impostos, Governo que usa as forças de segurança para fazer este papel acintoso. A requisição civil não é mais do que a confissão pública daquilo que nós, especialistas em trabalho, temos vindo a alertar – em Portugal é um padrão haver horários de trabalho dignos de uma fábrica inglesa em 1830 e, segundo INE, mais de metade trabalha até 70 horas por semana. Hoje o Governo explicou que é isto que defende.
É a favor disto – e não contra Berardo, a Galp, ou a Banca – que o Governo enviou a GNR e o Exército. A menos que os sindicatos reajam juntos esta tragédia nacional vai continuar. Contra o interesse social, económico e humano da larga maioria de nós portugueses.

Advertisement

1 thought on “Tempos Modernos, Jornadas Antigas

  1. Trabalhar 8 horas por dia deve ser normal. Horas extraordinárias só em casos extraordinários e em períodos muito limitados no tempo.
    Mas a quem aproveitam as horas extra : só aos patrões ou aos patrões e empregados ?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s