O saber não ocupa lugar

A Luta contra as propinas foi a luta pela democracia substantiva – mas a abolição das propinas, que é necessária, não vai mudar o panorama do abandono escolar ao nível superior. É a falta de qualidade do ensino, o envelhecimento da Universidade “medieval” (sem renovação de saberes e sem espaço para a crítica social) e, sobretudo – acima de tudo – é a falta de mobilidade social que leva à diminuição de estudantes no ensino superior – os custos/benefícios quando o mercado de trabalho está afunilado são para a maioria das famílias inúteis. Muitos pensam que estudar ou não não muda os 500 euros que vão auferir. E a maioria tem razão nesse cálculo. Portanto o problema da Universidade é o problema da sociedade – a ausência de emprego com direitos.
Dito isto, não deve haver propinas. A Universidade deveria ser o lugar central da cidade, de portas abertas, a todos os que queiram aprender. Usem-no ou não no trabalho. O saber não ocupa lugar: Mas a ignorância destrói países e civilizações.

Advertisement

2 thoughts on “O saber não ocupa lugar

  1. Pingback: O saber não ocupa lugar – Museu AfroDigital – Estação Portugal

  2. Aqui no Brasil, o Ministro da “Educação” do “irmão” do Marcelo pensa diferente: “As universidades devem ficar reservadas para uma elite intelectual” afirmou o olavista convicto Ricardo Vélez Rodriguez!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s