Para Lá do Petróleo Verde

«Imaginem como podia ser paradisíaca a serra de Monchique com menos eucaliptos, com uma bela floresta diversificada». “Para Lá do Petróleo Verde” é um artigo do meu pai, Fernando Varela, publicado no DN em…1993. Há 3 décadas ele fez um plano de florestação de Monchique. Ele foi um dos principais engenheiros florestais do país e também, mais tarde, subdirector regional de agricultura do Oeste. O «plano de Monchique», que, entre outras coisas, previa floresta mediterrânea autóctone para evitar os fogos nunca saiu da gaveta dos serviços florestais, trancada a sete chaves pelos interesses ultra minoritários da pasta de papel, um Estado dentro do Estado que faz este país arder e nós todos pagar para apagar fogos que não podem ser apagados nem controlados, apesar de hoje gastarmos um parte dos impostos cada vez maior em meios de combate aos incêndios, um gigante orçamento que umas horas de vento engolem de um trago. Porque ninguém trava um fogo de eucalipto ou pinheiro com vento. Lucros privados, dinheiros públicos, casas e vidas destruídas, a tudo isto chama-se bondosamente «pujança das exportações», omitindo que quando se exporta pasta de papel importa-se destruição do país. País que até já tem uma coisa chamada, imaginem!, «época de fogos». Sim, Portugal tem época de fogos. Como tem fado e mostras gastronómicas, volta e época de caça, tudo faz parte da “identidade nacional”, apesar do país só arder assim desde…a pinheirização e, sobretudo, eucaliptização do território. Muitos culpam o «aquecimento global» como se Monchique não tivesse há centenas de anos 40 graus e ventos fortes todos os anos, com ou sem alterações climáticas. A naturalização de problemas políticos, como se fossemos dominados por forças incontroláveis da natureza, é um obstáculo a qualquer solução efectiva. Ele não imaginou, fez um plano, com colegas, centenas de horas de cartografia militar, estudo do clima, florestas, agricultura, território, milhares de horas de viagens, desenhos, reflexão. Está na gaveta, já conheceu uma dúzia de ministros o tal do plano. Intacto, ao contrário da serra de Monchique, destruída.

Advertisement

7 thoughts on “Para Lá do Petróleo Verde

  1. Mas tem que ser a vontade dos residentes a impor essa necessidade!!!alem do mais á 14 anos ardeu o dobro do que esta a arder agora e a seguir 70% da mata é eucalipto mas somos todos parvos!!!

  2. Pingback: Rescaldo de Monchique. – Irina M. – "It's my life"

  3. Raquel, pode ter muita razão em algumas afirmações que faz, mas as temperaturas que foram registadas na zona de Monchique não são todo normais, não só no sentido que fogem a padrão (normal) – isto é aos valores médios – para aquela região, mas também porque os valores que foram sentidos foram extremos – quer no que respeita para a temperatura máxima, quer para mínima. Claro, que questionar se tal não seria expectável em face da ocorrência do incêndio, mas o facto é mais evidente quando observamos que toda a região do Barlavento Algarvio, Costa Vicentina e Litoral Alentejano registaram valores extremos muito além do ‘normal’ por aqueles dias. Tome-se o caso da estação metereológica de Sagres, sobejamente conhecida pelo seu vento e pelo seu clima, mas pouco dada a extremos no que toca a temperaturas, e que por aqueles dias registou valores acima 40.ºC.

  4. É triste vermos o mundo como ele é, vemos o que poderia ser, temos os meios para lá chegar e não há vontade política para pôr e os planos em ação.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s