História da Revolução Russa

Porque hoje, 90 anos depois da revolução russa e 77 sobre a publicação da obra mais importante sobre aquele acontecimento, Portugal permanece sem uma publicação da História da Revolução Russa de Leon Trotsky. A resposta encontra-se no próprio desenvolvimento das ideias socialistas em Portugal e nas organizações que as difundiram, sobretudo o Partido Comunista Português. Durante muitos anos, o único veículo de entrada das ideias marxistas em Portugal é o estalinismo, assente no determinismo economicista, uma análise mecânica onde os sujeitos deixam de ser actores da sua própria história, independentemente dos tempos históricos em questão. Uma visão alheia aos fundadores do materialismo histórico.

António Pedro Pita historicizou a entrada destas ideias em Portugal e concluiu que a via estalinista depois da reorganização do PCP nos anos 40 é dominante: «a comprovada “complexidade da vida social” é oposta à consideração da economia como “único determinante da vida social”»[1]. É neste período que nasce também a resistência filosófica ao marxismo, de que a incompreensão da dialéctica é uma face. Entre os textos mais importantes na recepção do marxismo pelos comunistas portugueses estão os Princípios do Leninismo, o Materialismo Dialéctico e Materialismo Histórico de Estaline e o Manual de Nicolau Bukharine. Esta concepção não é obviamente colocada em causa pelas correntes maoístas – que se tornam importantes nos anos 70 do século XX e que depois vão ter impacto nas elites intelectuais de então e que hoje ocupam lugares chave nas Academias, revistas, jornais –  cuja crítica ao Partido Comunista sempre foi que este não era «suficientemente estalinista»!

É neste contexto que surge a inexistência de uma edição completa da História da Revolução Russa, um lacuna que urge preencher, pela sua imensa riqueza política, literária e historiográfica.

[1] PITA, António Pedro, «O Marxismo na Constituição Ideológica e Política do Partido Comunista Português», in Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, Nº 40, Outubro 1994, p. 101.

Advertisements

One thought on “História da Revolução Russa

  1. Outra “lacuna que urge preencher” é também uma edição em português da obra “Wall Street and the Bolshevik Revolution”, do historiador e economista Antony C. Sutton (https://en.wikipedia.org/wiki/Antony_C._Sutton) que já foi traduzida para russo e que (em contradição com aquela que é a ideia/percepção oficial que se tem da reacção ocidental perante tal revolução) denuncia o apoio estadunidense a esta Revolução Bolchevique:

    http://reformed-theology.org/html/books/bolshevik_revolution/index.html

    (Obra essa, que não descreve nenhuma “tese”, por parte deste professor universitário, mas que antes demonstra um facto que foi por ele descoberto – e que não pode ser desmentido.)

    Assim como, o que falta a quase toda a gente que estuda História Moderna é um conhecimento significativo da omnipresente Maçonaria e das várias assinaturas que esta sociedade vai deixando nos mais importantes acontecimentos históricos. Pois, a simples data de “7/11” (no calendário ocidental) desta Revolução Bolchevique deveria ser o suficiente para accionar alarmes, entre quem sabe quais são os números usados na escolha das datas para as mais importantes acções por parte desta sociedade (http://blackfernando.blogs.sapo.pt/dias-maconicos-de-ocorrencia-de-100083).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s