Julgamentos ao minuto

A estes pais aconteceu – se eu li fora das gordas de jornais o mesmo que todo o país – uma sucessão de 4 azares na vida raros combinados que descambaram na maior tragédia da vida deles, a perda da filha. A filha fez um choque anafilático a uma vacina com 2 meses, é uma reacção gravíssima, mortal em muitos casos, e rara. Mesmo em meio hospitalar há casos desta reação em que os médicos nada podem fazer. Não quiseram arriscar depois do susto e não vacinaram a filha. Não eram anti vacinas porque aos 2 meses foram vacinar a filha. A filha apanhou mononucleose, que não é muito comum, e ficou mais doente do que o normal, raro também em mononucleose. E teve que ser internada. No mesmo lugar – logo no mesmo lugar, à mesma hora – onde foi internada passou um bebé de 13 meses que estava com sarampo e a contaminou, porque há um surto (não há uma epidemia) de uma doença que atinge mortalmente 1 em cada mil. Era a mãe do bebé de 13 meses anti vacinas ou foi dar a vacina 1 mês depois como milhares de pais fizeram porque não vão no dia exacto? Não sabemos. Sabemos que há pais de filhos saudáveis que mesmo assim não querem vacinar os filhos. Este surto, cujas origens reais ainda são porém desconhecidas, expandiu-se, ao que parece – mas ainda não se sabe bem – desde a Roménia. Ou seja, não sabemos se o surto se expande pelos anti vacinas ou pela degradação das condições de saúde em determinados países – reitero, não sabemos, nem a OMS. Ela não resistiu e morreu. O Ministério da Saúde sabe de tudo isto mas aproveitou o caso para fazer campanha contra os anti-vacinas, até agora silêncio total sobre a origem real do surto. As redes sociais essas sabem tudo e já fizeram o seu julgamento minuto. Vacinei os meus filhos, mas ainda não me vacinei contra os julgamentos em rede, que os media repercutem, ou vice-versa. Percebem que se a história é esta estes pais não são irresponsáveis, eles são as pessoas com mais azar no mundo e hoje vivem a tragédia mais profunda que exige de nós compaixão máxima?

Advertisements

2 thoughts on “Julgamentos ao minuto

  1. Percebem, mas não querem saber…

    Porque, o que interessa (aos governos e meios de comunicação – ambos controlados pelos grandes interesses económicos) é, a todo o custo, aproveitar este sucedido para demonizar quem é contra as vacinas. (Sendo isto feito por razões que vão muito mais além do que manter os lucros da multimilionária indústria médico-farmacêutica.)

    Eu, sou um dos demonizados “antivacinas”. Mas, posso dizer que a razão pela qual me mudei para este campo, não foi devido a nenhuma tragédia – mas antes, por estar bem informado sobre a realidade à minha volta (e procurar sempre ler e ouvir ambos os lados das histórias, antes de fazer os meus julgamentos).

    À autora deste blogue, peço-lhe encarecidamente que, se vacina os seus filhos, espreite, por exemplo, o que eu próprio tenho andado a escrever a quem me é próximo:

    (Para aceder às seguintes hiperligações – que são censuradas nos comentários – tem de se substituir os asteriscos por um “t”.)

    h*tps://pastebin.com/aZ898cPL
    h*tp://blackfernando.blogs.sapo.pt/tag/vacinas

  2. O seguinte documentário, de apenas 90 minutos (agora, já legendado em português) é suficiente para abrir os olhos a qualquer pessoa que tenha sentido crítico e que seja capaz de pensar por si própria:

    (cliquem nas opções do YouTube, para activar as legendas)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s