Pimenta nos outros…é

Quem acha que ensinar música erudita aos filhos é para betos e os filhos da classe trabalhadora e ex-média, pauperizada, vomitam em festas é a mesma gente que acha que chumbar a matemática é normal , haverá sempre uns especialistas, que estudaram muito, a governá-los; é a mesma gente que acha que a Índia, um campo de trabalho forçado a céu aberto, é um lugar para meditar e se encontrar consigo próprio; gente que acha que educação e chá são coisas da Quinta da Marinha, desrespeitar professores são momentos “normais da adolescência”; que em África uns batuques repetitivos é que é a verdadeira essência do ser humano, em Viena a ópera, claro, é um pedantismo; andar de calças rotas uma modernidade, bem vestido é…vaidade. Na verdade para estas pessoas, que só têm palavras doces a dizer sobre a classe trabalhadora, tudo o que de bom há e sério e rico (riqueza, ou seja, produção de valor pelo trabalho), é para ricos. Porque a classe trabalhadora, os que vivem do trabalho, quer-se pobrezinha, mal educada, ignorante mas – oh! meu Deus! – muito feliz e natural. São assim! Verdadeiros!
A palavra de ordem não é reconhecer que as classes trabalhadoras estão animalizadas, obesas, rudes, anti-sociais, alienadas pelas péssimas condições laborais, sem reacção política e associativa, é “tolerá-las”, feias como são. Transformar, jamais. Ser tolerante com a degradação, sempre. Eu acho que os trabalhadores pobres, muito pobres, devem desde crianças aprender a tocar um instrumento, ir e fazer teatro, saber matemática e nas férias ter dinheiro para viajar a lugares decentes. Que uma criança se deve levantar quando o professor entra na sala. É por essa sociedade que luto. A condição da classe trabalhadora hoje, que recordo são 80% dos portugueses, é de uma crescente degradação, alimentar, cultural, laboral, social – que dizer do facto de que os seus filhos estão em média 6 horas na Internet por dia, 57% está obesa e 60% chumbam a matemática? É isto que urge mudar e não vão ser os governantes eruditos, que sabem muita matemática, que vão fazer pelos trabalhadores o que só eles podem fazer por si próprios – libertar-se das terríveis condições de trabalho que condicionam toda a sua vida e dos seus filhos. Para começar a mudar é preciso compreendermos que estamos muito mal em vez de idealizar a pobreza crescente. Pobreza de espírito, também. Se pensam que os anos andam para a frente e as sociedades andam para a frente também não percebem nada de história da humanidade. Estamos, há muito, a andar para trás. E os nossos filhos estão a fazer o mesmo caminho, rumo ao retrocesso.

Advertisements

3 thoughts on “Pimenta nos outros…é

  1. Ao mesmo tempo que entende o comportamento das classes subalternizadas como o resultado da necessidade culpabiliza-as pela incapacidade de perceber o que é melhor. A degradação moral e intelectual das vidas sem liberdade são a representação absoluta da indignidade dos ainda livres. Não há ordem que justifique a injustiça sobre alguém, os autores morais da barbárie estão convencidos da sua inocência, isto é assustador, não ter a noção da perversidade do sistema é o derradeiro contributo para a prevalência do mesmo.

  2. Pão e circo.
    É o que as massas trabalhadoras escravizadas e estupidificadas querem. Pois estão ensinadas que isso é que é viver.
    Muitos dos que sabem ler e escrever, já não entendem o que lêem. E o que Lêem é um lenga lenga repetitiva sem sabor, que entra a martelo na mente como se a verdade fosse só uma, seja essa qual for. Essa(s) é certamente fabricada por alguém que está no controle de tudo. E, nisso deseja e mantêm tudo na mesma.
    As novas gerações de pessoas ligadas à rede mundial crêem o que vem de lá é a realidade e mal levantam o olhos para sentir o sol na cara.
    De quem é culpa?
    Minha e sua.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s