Filho único

Finalmente compreendi a política do filho único na China. Trata-se da proletarização em massa dos camponeses para o capitalismo chinês, que arrancou no final de década de 70, lembram-se do encontro Nixon/Mao?, depois da limpeza interna dos oposicionistas, muitos deles revolucionários a sério, com o pretexto da revolução cultural. Ou seja, quem era contra a transformação da China num mercado de trabalho semi-escravo para o capitalismo ocidental foi encerrado em campos de reeducação ou morto. Tiananmen é a segunda parte da “reeducação” dos líderes revolucionários pela burocracia chinesa. Camponeses precisam de braços para trabalhar no campo. Se não têm são compelidos a ir para as cidades trabalhar. É uma das inúmeras formas de expropriação dos camponeses e transformação destes em assalariados, sem meios de produção, são expropriados dos filhos que na terra são meios de produção. Nunca foi para conter o crescimento populacional mas para garantir que estes iam para as cidades trabalhar por uma tigela de arroz e 70 dólares. Isto é, teve como consequência uma das maiores taxas de crescimento urbano de sempre, se não mesmo a maior. Embora não esteja no livro foi a ler sobre este livro que algures as peças do puzzle surgiram na minha cabeça. O livro é Between Sex and Power: Family in the World 1900-2000 do sueco Göran Therborn’s. Dizem colegas da área que é a melhor história da família já publicada.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s