Vivemos de Paixões, isso é saudável

Contra as relações líquidas, Relações densas. Amigos não são porque o dizem, é o que fazem um pelo outro; paixões são saudáveis e necessárias; o amor salva-nos não só porque somos amados mas porque amamos – o cuidar de é tão importante como ser cuidado por. O mundo digital não mobiliza sentidos essenciais: cheiro, olhar, tacto. A esquerda é individualista. Quando alguém não paga a quota do sindicato ou não cumpre com o que se propôs colectivamente não está a ter um acto de liberdade, mas de desrespeito para com a vida em sociedade, colectiva. Contra relações vagas, apostar nas relações sólidas – contra o frenesim dos movimentos e apelos constantes, superficiais, ganhar raízes.
Coimbra de Matos e Raquel Varela sobre o livro Do Medo à Esperança, RTP Internacional.

 

Advertisements

One thought on “Vivemos de Paixões, isso é saudável

  1. A racionalidade tornou evidente que muitas relações são apenas um conjunto de conveniências, poucos parecem dispostos a viver no presente, a espontaneidade perdeu preponderância, é tão normal procurar relações viciadas que se tornou um objectivo desejável para qualquer cidadão dito civilizado. Todos os dias somos confrontados com pessoas próximas sem proximidade, pessoas absolutamente convencidas do seu desígnio, algumas felizes outras visivelmente tristes, ambas esgotadas pela a incapacidade de se afirmarem para lá de qualquer lógica hierárquica.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s