O trabalho de Paulo Portas

Paulo Portas disse esta semana no seu novo cargo na CCIP – uma, cito da página sede, ” associação empresarial privada que promove os interesse das empresas associadas” e que faz, cito também da sua própria página, ” lobbying” – já agora regime de incompatibilidades e falta de ética é só quando se sai de ministro para uma empresa estrangeira, se se sair de ministro para um partido político de algumas empresas nacionais, que é o que é a CCIP, já não conta ? A deriva nacionalista e protecionista da esquerda parlamentar é um perigo…
Onde ia…disse Paulo Portas, com aquele ar determinado que têm os alunos que falam de textos que não leram – colocam mais energia a mentir do que a estudar – que “no fim do dia contam é as empresas”. Paulo Portas, como os alunos que inventam, tem capacidade para ver coisas que nos surpreendem. Vejamos um dia normal meu: quando saio de casa já todos os pais do meu acolhedor prédio, de uma zona privilegiada, têm em cima da costas duas horas de trabalho doméstico, estendem roupa às 7 da manhã, vestem os filhos, educam-nos, fazem comida; depois mal saímos de casa andamos numa estrada pública, dizemos bom dia ao jardineiro da câmara, a caminho da escola cruzamo-nos certamente com médicos e enfermeiros que estiveram de turno na noite num hospital público, vamos deixar os filhos na escola onde professores, funcionários, porteiros, fazem a escola funcionar. A comida, a água, a luz, a electricidade que chegou às casas por transportes, trabalhos agrícolas, industriais, e vejam ainda não são 9 da manhã, estamos no princípio do dia e já a nossa vida depende do nosso trabalho e do de milhares de pessoas. Há empresas e empresas, as da CCIP são umas, as milhares de PMEs são outras, as públicas outras, e nas empresas há uma coisa chamada trabalhadores, já os encontraram por lá? – altamente qualificados ou não. O mundo é complexo mas resumir a vida de um país a meia dúzia de empresas, uma parte rentistas, onde a maior qualificação do dono é ter recebido uma herança, e dizer que “no fim do dia é isso que conta”, vindo de quem governou 10 milhões de pessoas, é relevador do fosso que existe na democracia representativa. Paulo Portas no fundo sempre foi ministro da CCIP. Não tem a mais pequena ideia do que é o trabalho, doméstico, público, e o que faz mover as empresas. Das 9 da manhã às 9 da manhã do dia seguinte. É que até para ser transmitido o que diz, no fim do dia, mesmo que seja mera propaganda política da CCIP sem qualquer conteúdo informativo, são precisos jornalistas, revisores de texto, técnicos de luz e imagem e som…

Advertisements

3 thoughts on “O trabalho de Paulo Portas

  1. Pingback: O trabalho de Paulo Portas | Artigos Científicos e Acadêmicos

  2. E ninguém lhe atira – directamente – com este resumo de um típico “dia de trabalho” e suas correlações? Talvez deixasse de ser o nada que é e tem sido: pernicioso e oportunista.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s