Valor-Trabalho

Auditoria Cidadã, Ordem dos Advogados do Brasil, Brasília, com Maria Lucia Fattorelli.

De onde vem o investimento? A remuneração de activos? A distribuição de dividendos? O capital, nas duas diversas formas – lucro, juro, renda? Como os meios de produção surgiram ?
Quando calculámos a sustentabilidade do Estado Social partimos de uma premissa – Keynesiana – errada. Conscientemente errada para nós e sabíamos a metodologia que usámos, e explicámos. A de que o capital produz valor. E assumimos portanto as contas oficiais do Estado que divide rendimentos – e os taxas – consoante são rendimentos do capital (juro, lucro e renda) e salário. E mesmo com esta divisão ele é superavitário – logo aos portugueses que vivem de salário – baixo ou médio, pouco ou bem qualificadas as profissões – não caberia dívida alguma a pagar. Imaginem se tivéssemos utilizado a metodologia correcta? A de que só o trabalho produz valor. Temos então uma enorme dívida do Estado a quem vive do salário…
Desde sempre que a humanidade usa meios para produzir – um machado ou um computador. Trabalhar é normal e necessário, a todos, por isso deve ser para todos um direito (e um dever numa sociedade onde o esforço é dividido por todos assumindo claro capacidades distintas, saudavelmente distintas). Tudo, sem excepção, foi criado com trabalho humano. Tudo o que está dentro de um computador tem em cada uma das peças, e das anteriores para produzir essas, trabalho.
Quem controla grandes volumes de capitais controla grandes volumes de trabalho das gerações anteriores. A teoria do valor trabalho de Marx – só o trabalho produz valor – não é original em Marx, também Smith e Ricardo admitiam que só o trabalho produz valor.

735090_1056358697755703_1090297408853353700_n

Advertisements

2 thoughts on “Valor-Trabalho

  1. Porque razão sente necessidade de referir que o trabalho é também um dever? Ao fazê-lo contribui para um estigma instalado que é o desemprego, atendendo ao contexto actual esta sua consideração não só me parece desadequada como injusta.

    A apropriação do valor do trabalho é um traço do capitalismo, poucos parecem realmente incomodados com isto, o que expõe, de forma inequívoca, o facto de vivermos numa sociedade de pessoas pouco confiáveis.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s