Manolin

Hoje os nossos gémeos Manuel e David, 11 anos, inauguraram o seu blogue de crítica de literatura, feito por eles, para partilhar o que pensam dos livros que lêem. Os primeiros livros sobre os quais escrevem são O Velho e o Mar, de Hemingway, e a História do Caracol que Descobriu a Importância da Lentidão, de Luís Luis Sepúlveda.
O que eles escrevem é só por eles escrito, sem ideias ou qualquer interferência minha.
O nome que escolheram é Manolin, «um rapaz que ajudava um velho que andava numa onda de azar há 87 dias».
No link os seus primeiros textos.

«Conheço histórias de crianças como eu, que estou para aqui a escrever, que não gostam de ler e ainda outras que o querem mas não o podem, apenas porque não têm dinheiro para tal.

O Velho e o mar é um livro muito bom e recomendo-o a todos os que o possam ler. O livro fala de um pobre velho que há 87 dias que não pescava um peixe e há 87 dias que se dirigia para o mar,para voltar sem peixe algum. Fala de um rapaz chamado Manolin que o ajuda e que por muitas vezes lhe leva um pouco de cerveja e comida boa.

Num outro dia (no octogésimo dia para ser mais exato) parte e fica surpreendido por um peixe graúdo lhe morde a linha. O peixe resiste mas o velho também e assim passam dois dias. Precisamente no terceiro dia o peixe graúdo é atacado por um tubarão e o velho fica sem arpão ao matar o mesmo. O peixe graúdo, ferido mas ainda vivo, segue “viagem”, porém o seu sangue atrai mais de vinte tubarões e o velho, armado apenas de um ramo partido pelas bocas dos tubarões, consegue chegar a casa são e salvo.
O resto desta emocionante história terão de ser os meus caros leitores a descobrir». Manuel, 11 anos.

«Adorei, foi um dos melhores livros que já li captou-me a atenção principalmente a parte em que Rebelde (era o nome do caracol da história) conhece Memória, a tartaruga, e os dois continuam a sua viagem. E, sabem qual é a importância da lentidão?
É que se não fizermos as coisas sem pressa e lentamente não reparamos no mundo à nossa volta e, quando damos por isso, estamos sentados numa cadeira de baloiço a fumar um cachimbo e a pensar no que teria sido a nossa vida se tivéssemos parado para olhar, pensar, relaxar e dizer para connosco que a vida só passa rápido se a viveres rápido, e que a lentidão é um dom.»
David, 11 anos

https://manolin2016.wordpress.com/

Advertisements

One thought on “Manolin

  1. “É que se não fizermos as coisas sem pressa e lentamente não reparamos no mundo à nossa volta…”

    “…a vida só passa rápido se a viveres rápido…”

    Sábias palavras.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s