Em balanço

O meu blogue foi visitado este ano por 220 mil pessoas e as páginas de facebook tiveram em média um alcance de 70 mil por semana. Dizem as estatísticas que me envia a aplicação que a minha taxa de resposta é inferior a 50%. A razão óbvia é que não tenho tempo, manter ambos exige de mim um estudo de temas e escrita regular, para além do meu trabalho e vida pessoal; a segunda é que nem tudo tem que ser respondido – ambos têm sido espaços de debate, onde milhares de pessoas deixam opiniões, na verdade vamos conversando uns com os outros, sabendo o que pensamos, aprendendo, muito. As redes sociais têm problemas, estamos a aprender a gerir esta nova forma de comunicar entre nós, que é massiva, galopante, às vezes asfixiante. Mas aqui temos debates sérios, outras vezes pistas para questões que nem conhecíamos, apresentamos números importantes, contrariando hipóteses de senso comum falsas, e, é preciso dizê-lo, rimos, também, o bastante. Já conheci pelo facebook alguns amigos, agora amigos mesmo. E vejo impressionada que estas visitas chegam de mais de 80 países do mundo. Até do Cazaquistão, país onde eu achava que só havia cavaleiros que caçam com águias em cima de pujantes cavalos. Há 30 anos estava com as minhas avós e, na aldeia de uma, ia-se à vizinha receber uma chamada telefónica. Elas se estivessem cá, minhas doces e amadas avós, iam achar que o mundo «estava maluco». Uma delas recusou-se sempre a entrar nas escadas rolantes. Mal sabiam elas que o trabalho delas, e o de todos aqueles que já não estão cá, nos ajudou a construir tudo isto que hoje usamos e chamamos de coisas, aplicações, touch, esquecendo que contêm todas elas uma relação de trabalho – tempo socialmente necessário para produzir – trabalho passado e presente. O mundo delas foi pior que o meu, era machista, hierárquico, elas, que não eram pobres, tiveram que deixar de estudar cedo, morreram sem nunca ter escutado a palavra «pós-doutoramento». Mas a resiliência delas com uma sociedade atrasada, o trabalho barato de ambas – domésticas/camponesas – foi parte da acumulação de riqueza que permitiu a pessoas como eu terem como profissão estudar, o que lhes foi negado foi a mim entregue pela vida toda. O que aqui escrevi de bom, quero hoje por isso dedicar-lhes. O que fiz de errado, como elas me ensinaram também, é meu, cada um é responsável pelos tropeços. Olívia e Celeste. Acho que todos os dias me recordo de alguma asneira que fiz e da irritação delas – não há nada mais terno do que uma avó, prestes a dar-nos umas «nalgadas», e nós em fuga, a dizer «fazes-me perder a cabeça».

Advertisements

3 thoughts on “Em balanço

  1. A Raquel tem mais audiência que muitos jornais e programas de tv. Audiência não, publico. Porque a audiência não tem rosto o seu publico tem.

    Só tenho de alertar para a sua compreensão dos dados estatísticos feitos na internet. Eles não são lidos da mesma forma como se fosse um jornal ou a tv. A internet é diferente. Por exemplo, pode ter visitas de países que na realidade não são desses países. Hã? Existem várias ferramentas para proteger o nosso IP. É ele que diz ao seu blogue de onde ele vem.

    Por exemplo você tem o browser Tor que é usado por pessoas que não querem ser identificadas quando visitam os sites. Tem também aplicações/plugins/extensões como por exemplo *** (há muitas :p)

    Imagine na China por exemplo, a perseguição aos jornalistas ou um simples cidadão que não quer que os sites saibam o que gostam para não serem invadidos com propaganda direcionada, etc… Então, assim como na sua profissão na internet também temos de questionar os números. Neste caso a origem. Normalmente quando são números muito pequenos vindos de uma determinada região desconfie. O que o Tor faz é camuflar o seu IP passando-o para outro pais para que você não seja descoberta. É lá que está o lado negro da força a Deep web :S. Mas também pode ser usado para o bem, da forma que indiquei, etc…

    Os números que apresentou provavelmente estão certos, o wordpress não falha. A origem é que pode não ser a mais correta. E ainda à mais, sabe aqueles blogs da sapo? Pois, os autores não dizem a verdade ou por a desconhecer ou por interesse. As medidas estatísticas que utilizam são fraudulentas. Por exemplo, se eu entrar num blog da sapo no mesmo dia 5 vezes eles contam como 5 visitas. Na wordpress não. Se eu entrar 5 ou 100 vezes num dia no mesmo pc eles contam só com uma visita. Portanto, veja bem, você tem números reais.

    Parabéns pelo seu trabalho na internet.

    Até para o Ano.

  2. A sensação de trocar impressões com alguém que não conhecemos mas que conhece o mesmo mundo que nós sempre foi impactante, o desprendimento que a internet permite é a novidade, o resultado não pode ser irrelevante.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s