Defender o Estado ou defender-nos do Estado?

No Ministério Público podemos ter a figura do implacável acusador criminal ou também do irredutível defensor do povo, e dos bens comuns, sede e garante do poder em democracia.
As condições laborais dos magistrados e o financiamento da justiça – 1ª parte da intervenção – são fundamentais para assegurar a democracia, defesa dos mais frágeis, a luta contra a corrupção. Mas o Ministério Público – na segunda parte da intervenção -, como garante e protector dos menores, dos trabalhadores, do bem público contra o interesse privado, deverá porventura reflectir sobre esta questão hoje que é central: Deve defender o Estado ou defender-nos do Estado?

Link da minha intervenção no Congresso dos Magistrados do Ministério Público.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s