ENCONTRO INTERNACIONAL ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS TRABALHADORES E DAS TRABALHADORAS, 150 Anos Depois

Imagem1

Todas as informações aqui

ENCONTRO INTERNACIONAL
ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS TRABALHADORES E DAS TRABALHADORAS, 150 Anos Depois

29/outubro a 3/novembro de 2014- Brasil

Em 28 de setembro de 1864, em uma reunião em Londres, a primeira organização internacional do movimento dos trabalhadores foi fundada e assim denominada: Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT). Embora a sua vida tenha sido bastante breve (1864-1877), a AIT tornou-se o símbolo da luta dos trabalhadores e trabalhadoras e influenciou as ideias de milhões de pessoas em todo o planeta.

Grandes mudanças políticas e econômicas se sucederam ao longo dos últimos 25 anos: o colapso do bloco soviético; o afloramento e relevância das questões ecológicas; as transformações sociais geradas pela mundialização; uma monumental reestruturação produtiva em escala global; a eclosão sequencial de guerras e, mais recentemente, uma crise financeira e econômica mundial que, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho, adicionou outros 27 milhões de desempregados desde 2008, totalizando mais de 200 milhões de pessoas. No mundo real estes números são ainda muito maiores, pois há o desemprego oculto, disfarçado etc, que escondem alarmantes índices de desemprego em escala mundial em uma época de crise estrutural.

Os movimentos de protesto e as rebeliões que ocorreram recentemente em várias partes do mundo distinguiram-se pelo caráter amplo de suas demandas por igualdade social, obrigando-nos a realizar uma reflexão radical acerca dos novos problemas e transformações que vêm ocorrendo também no mundo do trabalho. De protagonista central ao longo do século XX, o trabalho parece encontrar profundas dificuldades, presente, por exemplo, nas limitações que os sindicatos vêm encontrando para representar e organizar a crescente massa de assalariados, como os imigrantes, @s trabalhador@s precarizad@s, @s trabalhador@s mais jovens que não conseguem se inserir no mercado de trabalho cada vez mais flexível, onde os empregos são inseguros e os direitos são destruídos em amplitude global. Um dos grandes desafios atuais é refletir sobre as relações sociais, políticas e de representação entre os setores tradicionais da classe trabalhadora, herdeiros do fordismo e o jovem precariado que se desenvolve em escala global, na era da acumulação flexível, que se amplia significativamente em várias partes do mundo. 

Estes dois polos fundamentais da classe trabalhadora hoje têm seu futuro irremediavelmente articulado e relacionado: em suas lutas, o primeiro polo, aparentemente “desorganizado”, quer o fim da intensa precarização que lhe atinge e sonha com um mundo melhor. O segundo, mais “organizado”, quer evitar a sua maior degradação e recusa sua conversão em novos precarizados do mundo.

Se esses polos vitais da classe trabalhadora não se conectarem solidária e organicamente, a sua derrota poderá ser ainda maior. Se conjugarem suas ações de classe, poderão ser efetivamente capazes de combater o sistema de metabolismo societal do capital e sua lógica destrutiva e, assim, começar a desenhar um novo modo de vida.

O objetivo central desse Encontro Internacional é permitir, então, uma discussão ampla e profunda, visando estimular o conhecimento e importância da AIT e de seu duradouro legado, no momento em que comemoramos o 150º aniversário de sua fundação.

Para tanto, estamos organizando uma série de conferências que articulam o olhar ao passado recente, do primeiro movimento internacional de luta da classe trabalhadora com a avaliação e importância das lutas sociais dos trabalhadores em todo o mundo hoje. As transformações globais das últimas décadas, seguidas de sistemáticos ataques internacionalmente coordenados pelo capital não só sobre os direitos e a seguridade social d@s trabalhador@s em todas as partes do mundo,mas também sobre os organismos sociais, econômicos e políticos (que foram criados para realizar grandes conquistas históricas e efetivar os primeiros esforços de união no plano internacional),tornaram-se tema ainda mais crucial em nossos dias.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s