Os Perigosos

(silêncios)…!? Por momentos pensei que o café, ali pela manhã, na leitaria, tinha um cogumelo alucinogéno. Modernices da Dona Vitória ou, como no romance de Machado de Assis, somos demasiado sãos para a realidade. Na capa do Destak hoje, em grandes letras, de fundo azul bebé, está que “o aumento do número de acidentes aponta para a recuperação económica”. Lá dentro, o Presidente da Associação de Seguradoras diz, e cito, que há uma “correlação forte e positiva” com o comportamento geral da economia.
Três ideias razoáveis sobre o tema:
1) O aumento dos acidentes de trabalho pode estar simplesmente relacionado com a diminuição das condições laborais. Com a maior precarização. Aliás, aumentaram os acidentes mas diminui o valor das indemnizações, o que aponta justamente para esta causa, isto é, menos segurança, mais acidentes
2) A economia não é o lucro das empresas, a economia é a produção de riqueza, é a gestão da produção e reprodução, do bem-estar, das sociedades humanas. Portanto, a haver uma correlação ela é entre o aumento de acidentes de trabalho e o aumento do lucro de algumas empresas, mas isso não tem nada a ver com recuperação económica mas sim com degradação da economia e das relações laborais.
3) Finalmente, mesmo que a afirmação fosse verdadeira – e está longe de o ser – não se escreve. Há coisas que por decoro não se dizem, se é que se pensam. Não se escreve na capa de um jornal, não pode ser dito por um responsável de uma empresa, que há uma relação “positiva entre acidentes e recuperação económica”. Porque nos campos de concentração também havia uma relação positiva entre o número de mortos e os trabalhos forçados…e a economia estava em franca recuperação. Aliás o nazismo foi isso, a militarização da sociedade alemã para conter a revolução e encontrar uma “saída” para a crise de 29.
Temos dirigentes, de empresas e jornais, neste país, que cabem como uma luva na definição de O Alienista de Machado de Assis: “possuía um tal conjunto de qualidades morais que era perigoso deixá-lo na rua.”

Imagem6

Advertisements

3 thoughts on “Os Perigosos

  1. A subalternização do ser humano está em todo o lado, é cada vez mais difícil distinguir uma pessoa de um objecto, a normalidade com que isto acontece é já um traço da nossa cultura.

  2. Curioso que tive exatamente a mesma sensação. Estupefação e choque. De facto, parece haver uma forte correlação entre a estupidez generalizada e a “crise”. Ele há coisas que já são insuportáveis, os “empreendedores”, a “reindustrialização”, entre outras. Só faltava mais este magnífico “indicador”!

  3. Sim…somos quase todos todos insanos e desfuncionais e esta sensação de absurdo é apenas uma sensação sintomática desta insanidade. O Assis já o pressentia também..já o assustava esta casta sã de tão sã que era.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s