Auto gestão e Controlo Operário na Revolução Portuguesa

Frequentemente confunde-se auto gestão e controlo operário – quando são substancialmente dois processos distintos e também o foram em 74-75 tendo a autogestão (em que os trabalhadores de facto se tornam donos das empresas), atingindo empresas mais pequenas e descapitalizadas e o controlo operário – em que os trabalhadores se recusam a ser patrões das empresas mas controlam a produção, bloqueando de facto os mecanismos normais de acumulação – atingindo grandes empresas e fábricas. Distingue-se de co-gestão, em que são representantes dos sindicatos que aconselham a gestão da fábrica/empresa.
Começa esta segunda-feira o congresso internacional A Revolução de Abril. Participarei numa mesa da parte da tarde onde farei uma comunicação sobre este tema: “Auto gestão e Controlo Operário na Revolução Portuguesa | Raquel Varela (IHC-FCSH/UNL e IISH)”.
A entrada é livre. Terá lugar no Teatro Nacional D. Maria II, no Rossio.

http://25abril40anos.wordpress.com/programa/

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s