“O salário mínimo é uma vergonha!” – Raquel Varela no Prós e Contras

Advertisements

15 thoughts on ““O salário mínimo é uma vergonha!” – Raquel Varela no Prós e Contras

  1. Certo, mas qual seria a solução então? Como pagar melhores salários se não há vendas? Como não emigrar se não há emprego? Criar artificialmente emprego e vendas, como sempre se fez? (Salazar nas CIP e Lisnaves… e depois do 25Abril engrossando as fileiras do estado e em autoestradas…) Com que dinheiro?

    • Exactamente. Emprego artificial com salários altos sem criar a mínima riqueza…. Serviços públicos desnecessários, direitos a mais e deveres a menos, não exportar, etc…

  2. Parabéns pela sua participação no programa prós e contras, relativamente ao excerto que publica não posso deixar de realçar o facto de não se ter deixado “impressionar” pela idade do jovem optando por manter o discurso claro e incisivo que caracterizou a sua presença no programa.

  3. Independentemente de concordar ou não com as suas ideias (e devo dizer que não concordei com algumas coisas que defendeu), gostei muito da sua participação no “Prós e Contras”. Quanto aos comentários que por aí proliferam sobre a intervenção do jovem empreendedor, se fosse a si não lhes ligava. A força das ideias e a substância das propostas e visão do país, vale muito, mas muito mais, do que um sound byte. Os meus cumprimentos!

  4. O salário minimo é mais que uma vergonha, é um atentado à dignidade e à liberdade contratual e um travão ao crescimento do emprego. Só a abolição do salário mínimo e a liberalização total do mercado de trabalho podem permitir o aumento de produtividade e o crescimento do emprego, garantido ainda que cada pessoa encontre o match mais perfeito possível para os seus interesses.

  5. Comeco por uma pequena confissao e dizer que raramente 1) vejo este tipo de programas e 2) nao costumo escrever em blogs contudo este assunto revolta-me por isso deixo aqui a minha opiniao.
    Portugal esta a viver uma das maiores crises do ultimo ano em que perdeu 3.9% de toda a sua producao(GDP) em 1 ano, a terceira maior queda do mundo atras apenas da Grecia e do Chile, e com uma das maiores taxas de desemprego do mundo.
    Escrevo do estrangeiro por isso tambem desde ja me desculpo pela falta de acentos mas olhando para o meu pais e com todos os problemas que tem nao deixo de ficar perplexo a observar como aqueles que tomam o problema de Portugal seriamente e tentam fazer alguma coisa pelas suas maos sem esperar que o governo, familia e amigos os ajudem sao criticados de forma tao mesquinha e absolutamente ridicula. Este rapaz nao se queixou dos beneficios que deveria ganhar, da falta de apoio do governo, da falta de emprego mas sim falou do o ele esta a fazer para lutar contra a situacao precaria do pais. JFK no seu discurso de inauguracao disse “Ask not what your country can do for you; ask what you can do for your country.”. Este rapaz esta fazer algo que nao so e para ele mas tambem para o pais. Nao estou a aqui a dizer que concordo com o valor do salario minimo mas estou aqui a dizer que a atitude deste rapaz e de louvar. Esta mais que provado que seras as pequenas ou medias empresas de hoje que serao as grandes empresas de amanha e pessoas com a atitude deste rapaz que apesar de todos os problemas do pais e da negatividade que o o rodeiam limitam e constrangem os cidadoes, ate o primeiro-ministro esta a “encorajar as pessoas irem para o estrangeiro, estao em falta e deveriam ser promovidas.

    Agora um palavra em relacao a empresa e modelo de negocio do rapaz, ao salario minimo e ao comentario da senhora Raquel Varela em relacao ao estatuto de emigrante no estrangeiro.

    Modelo de negocio: Parece-me a mim que existe um pouco e critica em relacao ao valor que a empresa dele produz. Sera apenas desempacotar e empacotar productos ou colocar estampas numa T-Shirt? Primeiro: Qual e a importancia desta pergunta? Por exemplo a coca cola e apenas um empresa de marketing que nao produz ou distribui nem sequer um litro de coca-cola? Muitas outras empresas entram nesta categoria e o que importa e que os seus clientes encontrem valor no produto!!

    Salario minimo: Seria que e justo pagar o salario minimo a empregados? Nao!! Mas sera justo nao lhes dar emprego? Sera justo para empresas como Ikea, Apple ou Sony em empregar pessoas no salario minimo? Todos deveriam se preocupar com isto pois muitos de nos compramos os seus produtos!! Mais, se pudermos pedimos desconto! Mas, a pergunta que me perturba mais e aquela que diz qual foi a real intencao da pergunta? Promover os seus proprios interesses pessoais de promocao pessoal? Despromover a atitude empresarial que jovens Portuguses precisam?

    Estatuto do imigrante: Portugueses e estrangeiros sao descriminados? Vivo em Inglaterra ha 10 anos e nao sinto nem vejo isso. O Antonio Osorio e presidente de um dos maiores bancos no reino Unido e tambem nao deve sentir isso! Aqueles que tem valor sao procurados e estimados pelas empresas independentemente da seu nacionalidade. O que mais me preocupa e porque este sentimento de vitimisacao. Em portugal os portuguese exploram outros portuguese com salario minimo e usam oportunidades como esta em que o rapaz estava a defender a sua propria empresa e o fruto do seu trabalho na TV e foi sumariamente abatido por aqueles que estudam historia. Mais estes sao os mesmos que pensam que somos tambem vitimas no estrangeiro e o mundo decidiu voltar-se contra eles. Este rapaz mostrou na TV que nao so dispensa e passa por cima de todas as criticas que lhe sao postos no caminho mas tambem mostrou que quando vontade existe tudo e possivel. A historia e importante nao so como exemplo do que mal se fez mas tambem como reflexao no dia de hoje, o presente. “History is philosophy teaching by examples.” Qual e o nosso e seu exemplo para aos muitos outros jovens de 16 anos que sera o nosso futuro??

  6. É desanimador ver a reacção nas redes sociais e restantes media ás suas declarações. Tomando a parte pelo todo de forma completamente descontextualizada, a grande maioria das pessoas com mentalidade de rebanho criticam-na sem nunca ler o que realmente advoca. Basta consultar a página do produto do Martim, para se perceber que não constitui um exemplo sério de empreendedorismo, o produto não é inovador, não tem factor de diferenciação, não apresenta mais-valias face à concorrência e o mercado alvo são apenas os amigos e conhecidos. Na realidade o hype do empreendedorismo é apenas uma nova forma de explorar mão de obra barata, tirando partido da iniciativa individual, que em momentos de aperto leva as pessoas a arriscar com baixa percentagem de sucesso. Os casos de sucesso esses são apropriados em tempo devido por players de mercado, trazendo algum proveito ao empreendedor e permitindo poupar milhões em R&D aos referidos players. Como disse um colega meu “sound bites interessantes são sempre fixes e a malta gosta de aplaudir e regozija-se com essa ideia do underdog, o puto de 16 anos que deu a lição à doutorada. se um ministro qualquer dissesse «ganham o salário mínimo ao menos não estão no desemprego» havia de ser um regabofe de protestos”. Pela mesma ordem de ideias operários chineses com 1$/dia estarão também melhor que os nossos desempregados… Enfim resta-me dar-lhe os parabéns e agradecer o seu contributo, desejando-lhe a melhor sorte e sucesso, pois muita falta fazem pessoas com o seu nível de consciência.

  7. Cara Raquel,

    1. O jovem Martim não disse que o salario mínimo não era muito mau, disse que era melhor a pessoa estar empregada a ganhar o salario mínimo do que não ter emprego.
    2. Para criar emprego é preciso empresas. Para criar empresas, é preciso um modelo de negócio sustentável. Para ter um negócio sustentável, é preciso assumir custos compatíveis com a forte pressão que a economia faz nos preços e com o risco de começar um projecto como o do Martim. Isto implica salários mais baixos, o que não é bom – concordo consigo. Mas, tal como poderá concordar comigo, é melhor do que não ter emprego.
    3. Conhece o WordPress? A ferramenta que utiliza para comunicar com quem quer que seja que segue o que quer que seja que publica aqui? É o resultado do esforço de um empreendedor que na altura tinha 19 anos, um pouco mais velho do que o Martim. Conhece a Google? A empresa que fornece o motor de busca através do qual as pessoas podem encontrar o seu blog na Internet? É a mesma empresa que lhe fornece o Adsense e que lhe permite ganhar dinheiro com os cliques que os seus leitores fazem na publicidade deste blog. Pois bem, a Google é o resultado do esforço de dois empreendedores que utilizavam como escritório uma garagem que nem sua era. Sabe quantos empregados tem a Google hoje? Cinquenta e três mil. E digo-lhe uma coisa: hoje é considerada a melhor empresa para trabalhar no mundo. E digo-lhe ainda outra coisa: no início, os seus trabalhadores nem ganhavam um tostão.
    4. O País precisa de pessoas com a mentalidade do Martim. Pessoas que reconheçam e valorizem o mérito e o esforço de quem tenta, de quem luta e de quem sonha.

    Por favor, não confunda empreendedorismo com capitalismo.

    Com os melhores cumprimentos,
    Pedro

  8. Tem razão. Países como a Austria, Alemanha, Dinamarca, etc, não têm salário mínimo e não passam vergonhas. Já a Albânia, nós, o Afeganistão e outras dezenas de aflitos, têm e envergonham-se…

  9. congratulo a raquel por ter interrompido a propaganda de um puto arrogante de cascais que acabou por se revelar um embuste.

  10. Gostei da sua participação no programa Prós e Contras.
    Ficou por perguntar da sua parte aquele menino “desenhador de roupas” quem lhe encomendou o que foi dizer nomeadamente-Mais vale ganhar esse do que estar desempregado_.
    Cumpts.

  11. Os comunas sempre souberam apontar o dedo…o problema está depois em apresentar soluções . Já nem digo soluções coerentes…digo simplesmente soluções!

  12. É uma empresa portuguesa.
    É um contributo para economia portuguesa.
    E vender mais pode contribuir para aumentos de salários….

    Por isso chovam mais ideias e oportunidades de empreendimento.

  13. Raquel força porque o que está a fazer com o seu trabalho é abrir os olhos destes portugueses cegos que não batem palmas a quem lhes quer bem. Ainda não perceberam o que você realmente pretende com o seu trabalho! Os últimos serão os primeiros… por isso avante!
    Relativamente ao menino Martim além de ter mentido em relação à proveniência das t’shirts e camisolas, ele precisa realmente de perceber que o que disse foi muito infeliz mas também atendendo à sua idade não seria de esperar outra coisa. Provavelmente diria o mesmo na tenra idade pois estaria tão estupefato com o sucesso que só veria o meu umbigo… o que é triste. Ninguém condena o miúdo por ser bem sucedido como ninguém é condenado por tal… mas aqui a questão é ser “bem sucedido” à conta da ruína de outros. Preocupação social = ZERO. Usar a desculpa de que a NIKE, ZARA etc fazem o mesmo é de uma falta de bom senso tremenda, e lá porque os outros matam e escravizam todos nós podemos o fazer. É terrível e não é uma questão de mentalidade… é uma questão de terem um coração de pedra.
    Maiores felicidades e força!

  14. O problema está em receber o salário mínimo, ou no valor do salário mínimo? Com certeza concorda que um operário fabril não deva receber o mesmo salário que um Historiador, certo?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s